• Publicado em

    Adolescentes que obrigaram rival a cavar a própria cova durante sessão de tortura são ameaçadas

    "Efeito manada" uniu adolescentes que obrigaram rival a cavar própria cova, dizem especialistas

    As adolescentes que torturaram com pauladas, socos e facadas uma menor, de 13 anos, que ainda foi obrigada a abrir a própria cova no quintal da casa onde foi mantida refém em Trindade (GO), passaram a receber ameaças após o crime..

    As jovens têm recebido mensagens no Facebook dizendo que elas merecem ser torturadas até a morte. Além disso, a irmã de uma das garotas e o rapaz que teria motivado ciúmes nas adolescentes também estão sendo ameaçados.

    Além disso, a adolescente que filmou a tortura e mostrou os vídeos para a polícia também estaria sendo ameaçada pelas outras garotas. Segundo a delegada, ela mostrou os vídeos para provar que ela apenas filmou a cena e que não participou das agressões.

    A vítima foi espancada, teve o cabelo cortado, o aparelho dentário arrancado da boca, foi obrigada a cavar uma cova para ser enterrada e foi amarrada.

    De acordo com a policial as menores A, de 13 anos; N, de 16; E, de 14; e K, de 16 anos, são vizinhas, estudam na mesma escola e são amigas. Juntas, formaram o bando.
    As garotas queriam se vingar da vítima alegando que a menor, chamada de 'loira', teria dado em cima do namorado de uma delas. O namorado teria ajudado a vítima a organizar uma festa. Para isso, arquitetaram plano para atrair manter cativa e matar a garota
    As garotas queriam se vingar da vítima alegando que a menor, chamada de “loira”, teria dado em cima do namorado de uma delas. O namorado teria ajudado a vítima a organizar uma festa. Para isso, arquitetaram plano para atrair manter cativa e matar a garota.
    Em um momento de distração das agressoras, a vítima conseguiu fugir. Bastante machucada, ela conseguiu pular dois muros e pedir ajuda para uma vizinha, que chamou a polícia. Fotos feitas no local mostram cabelo e os chinelos da vítima na cova.
    Na delegacia, a vítima disse não saber o que motivou as agressões, mas acredita que as agressoras têm inveja dela. A garota temeu pela própria vida. — [Elas falavam] que eu tinha tudo porque minha mãe me dava, e que as mães delas nem ligam para elas (sic). Quando elas deram a facada para eu cair na cova, eu tive certeza de que iria morrer

    Na delegacia, a vítima disse não saber o que motivou as agressões, mas acredita que as agressoras têm inveja dela. A garota temeu pela própria vida.

    — [Elas falavam] que eu tinha tudo porque minha mãe me dava, e que as mães delas nem ligam para elas (sic). Quando elas deram a facada para eu cair na cova, eu tive certeza de que iria morrer

    A delegada deu voz de prisão a todas as menores agressoras. O processo foi aceito pela Justiça. As menores agressoras foram para um Centro de Internação em Formosa, região do Entorno de Goiás com o Distrito Federal. Via R7

    Assista momentos da agressão; atenção imagens fortes;

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.