• Publicado em

    Após fazer sexo com 20 fantasmas mulher fica noiva de ‘um deles’

    Ela anunciou que está noiva e que pretende ter filhos

    Uma mulher identificada como Amethyst Realm, 30 anos, ficou conhecida por dizer que costuma fazer sexo com almas de gente que já morreu.

    Ela contou que algum tempo está tentando engravidar de uma das almas, que seria um dos seus ‘favoritos’. A alma desencarnada que ela quer que seja pai de seu filho foi uma pessoa (?) que ela afirma ter conhecido durante uma viagem à Austrália. Desde então, os dois estão juntos, apaixonados e felizes, e o espírito está morando com ela na Inglaterra.

    Foi no jornal Metro do Reino Unido, inclusive, que a notícia de que os pombinhos estão dando mais um passo em direção ao “felizes para sempre” foi divulgada. Realm e seu fantasma estão oficialmente noivos, de acordo com a publicação.

    “Nós somos almas gêmeas, perfeitos um para o outro, e isso nunca vai mudar”, disse a noiva apaixonada. O pretendente não tem um nome e a própria noiva disse que não sabe ao certo se ele é mesmo um homem, mas afirma que o gênero de seu fantasma amado é o que menos importa nessa história.

    Aliás, o pedido de noivado foi feito pelo fantasma, de acordo com ela: “Não houve isso de ficar de joelhos, ele não tem joelhos! Mas pela primeira vez, o ouvi falar”, contou a jovem. Ela disse, ainda, que até o momento do pedido de casamento seu noivo falava só dentro de sua cabeça, mas que quando fez a proposta ela o ouviu perfeitamente. “A voz era profunda, sexy e verdadeira”.

    De acordo com a jovem, ela largou um namorado de carne e osso para poder se relacionar com espíritos, sua família está feliz com o noivado e com o relacionamento. Os preparatórios para a festa já estão a todo o vapor, inclusive. Sobre ter filhos, ela diz que sabe que a ideia soa como loucura, mas acredita que não é algo impossível.

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.