• Publicado em

    Aprovado o relatório final da CPI Administrativa. Comissão pede impeachment do prefeito Vinícius Luz

    O documento, que pede a cassação do mandato do chefe do executivo jataiense, agora será votado pelo plenário da Câmara em data a ser definida.

    Por dois votos contra um, os membros da Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga supostas irregularidades cometidas pelo prefeito Vinícius Luz (CPI Administrativa) aprovaram o relatório final redigido pelo relator, o vereador Major Davi Pires (PP). A leitura começou na tarde desta segunda-feira, dia 28, e terminou já na madrugada do dia 29, com a subsequente votação, no plenário da Câmara Municipal de Jataí.

    O documento, que pede a cassação do mandato do chefe do executivo jataiense, agora será votado pelo plenário da Câmara em data a ser definida. Caso o relatório seja acatado pela maioria dos parlamentares, o prefeito perderá seu mandato, previsto para terminar no próximo dia 31 de dezembro.

    Além do relator, o presidente da CPI, vereador Creso Vilela (MDB), também votou favoravelmente ao relatório final. O único voto contrário foi do terceiro membro, o vereador Thiago Maggioni (PSDB, que, devido a problemas técnicos, pois participava da reunião por videoconferência, por se encontrar fora do município, não pôde ler seu voto divergente, de 60 páginas, mas deixou registrado que votaria contra o texto do relator.

    Durante 150 dias, a comissão investigou possíveis indícios de contratações/locações onerosas de veículos; fraude em processo licitatório convite nº 03/18; contratações superfaturadas; subfaturamento de transação imobiliária de imóvel adquirido pelo prefeito com indício de lesão ao patrimônio público; vantagens indevidas a agentes públicos; ausência de alvará prévio para reforma e ampliação de imóvel adquirido pelo prefeito e utilização indevida de servidor público para tratar de interesse particular de agente público, no âmbito da administração municipal.

    O relatório aprovado também será encaminhado pela CPI ao Ministério Público e às autoridades policiais para que providências jurídicas sejam tomadas a respeito das irregularidades levantadas pelos parlamentares. Outras pessoas envolvidas na administração e execução da reforma da casa do prefeito e funcionários da prefeitura também foram citados no texto. A comissão recomenda que todos sejam investigados pelo MP e pela polícia.

    Francisco Cabral/Câmara Municipal de Jataí

    Repórter Mari JTI

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.