• Publicado em

    Bebê fica mais de 13 horas ao lado da mãe assassinada

    O assassino foi preso.

    A frieza do assassino que deixou a mãe morta ao lado do berço em que o filho, de um ano e dez meses, fruto de outro relacionamento, dormia, torna mais chocante este caso de homicídio.

    Albany Joanita Magalhães do Prado foi encontrada morta, dentro de casa, em Mogi das Cruzes, na região metropolitana de São Paulo, no dia 12 de maio.

    O assassino, de acordo com a reportagem, foi preso na manhã desta ultima segunda-feira (1º).

    Paulo, de 32 anos, teria matado Albany quando descobriu a gravidez da vítima.

    Ela teria convidado o rapaz para comemorar a notícia e foi morta depois de se negar a fazer o aborto.

    Paulo, de 32 anos, teria matado Albany quando descobriu a gravidez da vítima.  Veja na reportagem

    Ela teria convidado o rapaz para comemorar a notícia e foi morta depois de se negar a fazer o aborto.  Veja na reportagem

    4y0ffwdxl_1gb1bdhjp_fileAinda de acordo com a reportagem, a vítima não sabia que Paulo era casado e tinha dois filhos.

    Albany foi assassinada a golpes de facas.

    A reportagem apurou que os dois tiveram um relacionamento de dois meses.

    O corpo da vítima estava ao lado do berço em que o filho, de um ano e dez meses, fruto de outro relacionamento, dormia.

    A criança ficou quase 13 horas no berço com a mãe já morta ao lado.

    O corpo da vítima estava ao lado do berço em que o filho, de um ano e dez meses, fruto de outro relacionamento, dormia. A criança ficou quase 13 horas no berço com a mãe já morta ao lado.  Veja na reportagem

    Paulo foi preso no posto de combustível onde trabalhava e, de acordo com a Polícia, ainda tentou esboçar uma reação.

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.