• Publicado em

    Bígamo mantém segunda família vivendo escondida na garagem de sua casa

    E o mais incrível é que foi sem que primeira esposa soubesse

    Um egípcio com duas mulheres estava mantendo sua segunda esposa e três filhos em uma garagem sob a casa de sua primeira mulher, que não tinha ideia disso.

    A polícia italiana fez a descoberta no sábado (31/10) à tarde, quando eles encontraram uma egípcia de 33 anos de idade e seus três filhos, com idades de 3, 7 e 9 anos, vivendo em uma garagem de 15 metros quadrados, localizada debaixo de um bloco de casas populares em Monza, Itália.

    A descoberta foi feita após a primeira esposa, de 47 anos de idade, também egípcia, com quem o homem teve outros 3 filhos com idades 3 e 10 anos, ter chamado as autoridades por outro motivo.

    Como o marido, de 50 anos – que cumpria uma ordem de restrição por tê-la maltratado e também ter cometido o ato aos filhos – estava do lado de fora da residência, ela imaginou que ele a estava perseguindo.

    2

    Quando a polícia apareceu, o homem disse aos oficiais que não estava ali pela primeira esposa, mas sim para visitar a segunda família, e os levou para ver o local onde morava.

    Não se sabe por quanto tempo a segunda família está no país, mas suspeita-se que ela esteja vivendo na casa há algumas semanas. Os quatro membros da família foram levados para um hospital e se encontram em um bom estado de saúde.

    O homem está sendo questionado pela polícia, que investiga as circunstâncias que levaram a segunda família a se alojar na garagem. Ele está sendo acusado de violar os termos de sua ordem de restrição e magistrados aguardam a confirmação sobre seu segundo casamento para assim poderem acusá-lo de bigamia.

    A primeira esposa não tinha ideia de que a segunda família estava morando na garagem.

    Nenhum dos envolvidos teve a identidade divulgada.

    Adaptações Plantão JTI
    Fonte: Arbroath

    Assista:

    
    
    
    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.