• Publicado em

    Brasil: Jovem mata a avó esconde o corpo em casa e faz uma festa no local

    A jovem que não teve a identidade revelada por ter 17 anos, matou a avó com quem ela morava em um condomínio de luxo em Belo Horizonte, (MG), escondeu seu corpo por dois meses em casa, usava se cartão e foi curtir o carnaval tranquilamente.
    Segundo informações da polícia, o corpo de Elizabeth Martins Augusto de Amorim, 57 Anos, estava enrolado em lençóis, dentro de um cômodo da casa, que estava lacrado com uma lona na tentativa de reduzir a passagem de odor.

    Ela foi encontrada por uma filha, que não conseguia contato com a mãe há dois meses e resolveu ir até o local para tentar saber notícias, chegando la, ela chamou um chaveiro para entrar e se deparou com a situação.

    Em depoimento na delegacia, a jovem contou que matou a avó a facadas depois que elas tiveram uma briga. A polícia também apurou que ela usava o cartão da avó que recebia uma pensão de R$ 30 mil do marido falecido que era militar.

    Leia também: Casal morre em acidente entre caminhão e moto na BR 060 

    Durante o período em que conviveu com o corpo da avó, ela chegou a dar festas no imóvel. A Justiça de Minas Gerais determinou, nesta quarta-feira (6), a internação provisória da adolescente.

    A decisão foi da juíza Junea Benevides Souza Bueno, plantonista da Vara de Infância e Juventude da comarca da capital. O acautelamento provisório foi estabelecido em razão da gravidade do crime e a jovem foi encaminhada para Centro Socioeducativo Feminino São Jerônimo, no Bairro Horto, Região Leste da capital.

    Na internação provisória ela irá aguardar a audiência que definirá a medida socioeducativa definitiva.

    Em sua conta no Instagram, a jovem postou recentemente uma foto com desenhos de chifres vermelhos e os dizeres: “Anjo em certas horas. Um capeta a cada momento”.

    Matéria do Maetips

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.