• Publicado em

    Brasil registra 3,5 milhões de alunos que reprovaram ou abandonaram estudos em 2018

    Atraso escolar é mais presente entre a população indígena

    O Brasil tem como meta, dentre outros tantos desafios, melhorar a educação, desde o ensino básico ao superior. Embora recursos e políticas públicas sejam aplicados, o número de estudantes que são reprovados ou até mesmo abandonam os estudos é preocupante. Segundo indicativo da Unicef e do Instituto Claro referente ao ano de 2018, cerca de 3,5 milhões foram reprovados ou deixaram de estudar.

    No mesmo ano, foram registradas 48,5 milhões de matrículas na Educação Básica – distribuídas entre a educação infantil, ensino fundamental e médio –, sendo que 2,6 milhões de alunos foram reprovados. Outro fator que chama a atenção é a diferença entre idade-série. Isso porque 1 em cada 5 estudantes de escolas públicas tem dois ou mais anos de atraso escolar.

    Leia também: Fies 2019 tem prazo prorrogado para o aditamento

    Entre a população indígena o atraso escolar é ainda mais presente, tendo 41% dos seus alunos matriculados enfrentando a situação. Além disso, ao menos 15 mil crianças e estudantes indígenas abandonaram os estudos. Situação semelhante é verificada entre alunos com deficiência. São mais de 383 mil estudantes com atraso nos estudos, cerca de 48,9% dos matriculados.

    Ainda segundo o levantamento, o ensino médio é a etapa com o maior número de discentes que desistiram da escola. São mais de 460 mil alunos em situação de abandono escolar, o que representa 7% do total de matrículas nesse nível.

    Fonte: Agência Educa Mais Brasil

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.