• Publicado em

    Briga por som alto termina com morte de pai e filha em SC

    Um homem e a filha dele foram mortos a tiros em Itajaí (SC) por causa de uma briga por som alto. O suspeito não gostou da reclamação da vítima, que queria acordar cedo para trabalhar no dia seguinte, já que havia ficado seis meses desempregado. O suspeito está foragido.

    A adolescente Suiane Costa, de 15 anos, chegou a ver o criminoso de perto. Quando percebeu que ele estava armado, ela tentou fechar a porta. Porém, o suspeito atirou.

    O tiro atravessou a porta de vidro e acertou a garota, que morreu antes da chegada do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

    O suspeito também atirou no pai da adolescente, Fabiano de Oliveira, de 36 anos. O homem morreu na hora. A terceira vítima foi a mãe da garota, Franciele da Costa, de 35 anos. A mulher está internada em estado grave no hospital.

    Fabiano havia chegado da igreja e estava feliz. Segundo amigos, ele havia ficado seis meses desempregado e iria começar a trabalhar na segunda-feira (31).

    Fabiano foi pedir para um rapaz baixar o som do carro, que estava estacionado. Porém, ele foi xingado e ameaçado de morte. Segundo um conhecido, Fabiano iria acordar cedo no dia seguinte para ir trabalhar. Assim que fez a reclamação, o homem baixou o volume, ameaçou o rapaz e foi embora.

    Pouco tempo depois, dois homens em uma moto se aproximaram da casa. O garupa saltou do veículo já atirando contra as vítimas, na noite de domingo (30). O suspeito, de 20 anos, está foragido. O pai dele, suspeito de ter ajudado, foi preso.

    Horas após o crime, um carro que estava estacionado na rua foi incendiado por moradores. O veículo seria da mãe do suspeito dos assassinatos.

    Na casa, estavam Suiane e os outros cinco filhos do casal, que têm entre sete e 16 anos, e um bebê primo das crianças. Na hora do crime, a criança foi jogada para baixo da cama.

    Do R7

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.