• Publicado em

    Câmara debate propor a criação da Guarda Civil Municipal de Jataí

    Experiência da Guarda Civil Municipal de Aparecida de Goiânia e Quirinópolis é apresentada na Câmara de Jataí.

    A Guarda Civil Municipal de Aparecida de Goiânia e a de Quirinópolis fizeram, na manhã do dia 16 de junho, na Câmara Municipal de Jataí, a apresentação de parte de seus equipamentos e uma explanação a respeito do funcionamento da instituição naquelas cidades. A intenção do presidente Marcos Antônio e dos demais vereadores é propor à prefeitura o envio de um projeto de lei para que Jataí possar criar sua própria Guarda Civil.

    A mesa de trabalhos foi composta pelo presidente Marcos Antônio, pelos vereadores Nilton César Soró, Mauro Bento Filho, João Rosa, Geovaci Peres, Vinícius Luz, Gildenicio Santos e Thiago Maggioni, pelo juiz de direito Sérgio Brito Teixeira e Silva, pela promotora de justiça Gláucio Brito Teixeira, pelo coordenador do Gabinete de Gestão Integrada Municipal de Aparecida de Goiânia (GGIM), Sandro Cristoph, pelo comandante da Ronda Ostensiva Municipal (Romu) daquela cidade, Paulo Gonçalves, pelo comandante da Guarda Civil Municipal de Quirinópolis, Igor Carlos Ferreira Carvalho, e pelo comandante do 14º Comando Regional da Polícia Militar (CRPM), tenente-coronel Francisco Frazão.

    Ao abrir a reunião, que foi aberta à comunidade e realizada no plenário João Justino de Oliveira, o presidente Marcos Antônio ressaltou que as guardas municipais não têm como única função proteger locais e monumentos públicos. “Hoje vamos tomar conhecimento das verdadeiras atribuições de uma guarda civil”, disse ele. “Nosso objetivo é que o processo de criação dessa instituição comece ainda este ano, na gestão municipal que se encerra em dezembro próximo, para que ela passe a funcionar o mais rápido possível, pois a situação da segurança pública em nosso município é muito ruim. Vamos entregar nas mãos do prefeito Humberto Machado uma minuta de projeto de lei para que ele seja enviado ao legislativo. Afinal, vivemos uma realidade jamais imaginada, em que comerciantes estão trabalhando atrás das grades por medo de assaltos”.

    DSC_0293O coordenador do GGIM de Aparecida de Goiânia, Sandro Cristoph, revelou que o índice de violência naquela cidade caiu de 30 a 35% com a criação da Guarda Civil Municipal. “Ela surgiu em 1993, mas somente em 2004 passou a contar com servidores concursados”, informou. “Não buscamos substituir as forças policiais, não fazemos investigações e apenas colaboramos na prevenção de crimes e não entregamos armas para pessoas despreparadas, pois nossos membros são preparados nas academias das polícias Militar e Civil”.

    Segundo Cristoph, a GCM de Aparecida, cidade com mais de 500 mil habitantes, conta com 15 viaturas e vários outros equipamentos de trabalho. “São vários os trabalhos que fazemos em regime de parceria com os diversos segmentos das polícias que atuam em nosso município”, afirmou.

    Responsável pela GCM de Quirinópolis, Igor Carvalho também relatou melhora no nível de segurança na cidade, apesar de a lei proibir o porte de arma por guardas municipais de localidades com menos de 50 mil habitantes, como é o caso daquele município do Sudoeste Goiano. “Só com o uso da viatura durante as rondas já percebemos a diferença”, contou ele. “O cidadão passou a ter tranquilidade para fazer suas caminhadas e outras atividades”.

    O juiz Sérgio Brito afirmou ser favorável à implantação do órgão em Jataí. “Torço para este projeto e para que tenhamos a nossa Guarda Civil Municipal, para somar forçar com a polícia na proteção de nossa população”, disse o magistrado.

    O vereador Mauro Bento Filho lamentou que Jataí ainda não tenha a GCM. “Nunca conseguimos convencer o executivo a abraçar a Guarda Municipal”, afirmou. “Fizemos vários requerimentos, outros vereadores também, mas não obtivemos êxito, no entanto, com a mudança da lei, isso ficou mais fácil. Esperamos que dessa vez consigamos realizar essa meta”.

    Também o vereador Thiago Maggioni revelou-se esperançoso. “Este é um sonho antigo da comunidade jataiense”, assegurou. “Tenho certeza que a Câmara Municipal de Jataí poderá ser grande parceira do prefeito Humberto Machado para a criação da Guarda Municipal”.

    O vereador Geovaci Peres reforçou o discurso de parceria. “Segurança pública é clamor número um da sociedade, junto com saúde e educação”, garantiu. “Acho difícil montar a guarda este ano, mas podemos começar a organizar. Acredito que recurso não vai faltar, pois poderão ser feitas parcerias com o governo federal e com esta Casa, que poderá ajudar devido à grande economia que fazemos todo mês”.

    DSC_0166O comandante do 14° CRPM, tenente-coronel Francisco Frazão, afirmou não ver obstáculos para a criação da GCM. “Em Goiânia houve problemas entre Guarda Municipal e Polícia Militar, no início”, relembrou. “Hoje este relacionamento tornou-se parceria. A criação da guarda é importante para aumentar a segurança na cidade”.

    O vereador Vinícius Luz informou que já tratou do assunto com o prefeito de Quirinópolis, Odair Rezende. “O item número um das preocupações hoje é a segurança pública”, asseverou. “Que nossa Câmara possa dar prosseguimento e que consigamos fazer o convencimento do executivo no sentido de implantar a Guarda Civil Municipal em Jataí”.

    A medida também foi defendida pelo vereador Gildenicio Santos. “Em decorrência da omissão do governo estadual em relação à segurança pública, nossos policiais são verdadeiros heróis”, considerou. “Vejo com bons olhos a Guarda Civil Municipal, mesmo neste momento de crise, pois é um assunto prioritário. Devemos começar o quanto antes a mudança na legislação”.

    O vereador João Rosa elogiou as explanações dos convidados e também se mostrou favorável a implantação da GCM no município. “Que o prefeito encampe este projeto para que Jataí tenha sua própria Guarda Civil Municipal”, declarou ele.

    Para o vereador Nilton César Soró, não haverá resistência por parte do poder executivo. “Tenho certeza que o prefeito Humberto Machado vai abraçar esta causa, pois ele tem total interesse pelos destinos da cidade”, afirmou. “Vamos cobrar a implantação, pois esta é uma das funções da Câmara”.

    DSC_0260

    Crédito da fotos: Hélio Domingos/CMJ

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.