• Publicado em

    Câmara recebe secretária da Educação e pais de crianças atendidas por creches

    SME esclarece sobre horário de funcionamento e garante jardim II em 2016

    Em reunião realizada no último dia 26 de novembro, no gabinete da presidência da Câmara Municipal de Jataí, a secretária Municipal da Educação, Izildinha Divina Borba Carvalho, tranquilizou os pais de crianças atendidas pelas creches da cidade quanto ao horário de encerramento do expediente. Ela também garantiu a eles que vai levar ao prefeito Humberto Machado as preocupações de pais e responsáveis em relação ao jardim II e ao ensino em meio período.

    Mais tarde, ela anunciou que os Cmeis Cidália Vilela e Santa Rosa continuarão a oferecer o jardim II durante todo o ano de 2016. A adequação às leis federais, neste caso, foram adiadas para 2017, para que todos tenham tempo de se preparar para a mudança. A administração municipal atendeu a uma reivindicação da base aliada ao prefeito para que alguns pontos fossem revistos.

    Além da secretária e de representantes dos pais de alunos, estiveram presentes à reunião o presidente da Câmara, Marcos Antônio, os vereadores Nilton César Soró, Adilson Carvalho, Geovaci Peres, Gildenício Santos, Mauro Bento Filho, Thiago Maggioni e Vinícius Luz, a coordenadora da Divisão de Políticas Pedagógicas e Educacionais da SME, Lúcia Helena Rodrigues Coelho, e as assessoras da pasta Neuraci Alves Ferreira Lima e Geilaci Alves Ferreira Prado. Os vereadores Carlos Miranda e João Rosa, que não tiveram condições de participar, enviaram representantes.

    Durante as sessões ordinárias da segunda quinzena de novembro, os pais de alunos do ensino fundamental II (6° ao 9° ano) e de alguns Cmeis (Centro Municipal de Educação Infantil) procuraram os vereadores para expressar insatisfação quanto a algumas mudanças na rede municipal de ensino a serem implementadas pela prefeitura a partir do próximo ano.

    Quanto ao ensino fundamental, o executivo resolveu cumprir a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), que determina que o ensino do 6° ao 9° ano é de responsabilidade do governo estadual. Há vários anos o município, obedecendo a acordo firmado com o Estado, também cuidava dessa faixa, mas, com a queda na arrecadação e nos repasses da União, o compromisso teve de ser finalizado.

    Em relação às creches, os pais relataram temor quanto ao horário em que as crianças seriam liberadas. Chegaram a ser informados pela direção de alguns Cmeis que os alunos deveriam ser buscados às 16 horas. Mas a secretária da Educação esclareceu que somente os professores terão de cumprir carga horária até as 16, mas que as unidades permanecerão funcionando até as 17 horas, ficando os alunos sob orientação de agentes educativos, que ministrarão atividades lúdicas durante uma hora.

    Outra surpresa negativa foi a remoção do jardim II das creches a partir do próximo ano. Com a decisão tomada e divulgada em data tão próxima ao início do período de matrículas, muitos pais ficaram receosos de não encontrar vagas para seus filhos. Izildinha Borba Carvalho explicou que esta foi outra adequação da rede municipal a determinações federais. De acordo com a lei, os Cmeis não podem contar com o jardim II.

    Depois de ouvir o descontentamento também em relação ao fim do ensino em tempo integral nas creches, a secretária – atendendo sugestão dos vereadores – garantiu aos participantes da reunião que marcaria uma reunião com o prefeito Humberto Machado para levar todas as reivindicações. Caso as alterações não sejam revistas, os representantes de pais e responsáveis afirmaram esperar que a adoção das medidas seja adiada para 2017, para que todos tenham tempo para se adaptar e se preparar.

    “Esta é uma das finalidades da Câmara Municipal”, observou o presidente Marcos Antônio. “A prefeitura não enviou um projeto para esta casa, mas estamos aqui reunidos, os vereadores, as representantes da Secretaria da Educação, juntamente com pais e mães de alunos, para que possamos chegar a um denominador comum, a uma solução satisfatória, pois é conversando que se chega a um entendimento”.

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.