• Publicado em

    Casal que matou pintor em Rio Verde irá a juri popular

    O juri acontecerá nesta terça-feira (23).

    Nesta terça-feira, 23, irá ocorrer o júri dos assassinos do Pintor NEYTHON RODRIGO BORGES PEREIRA, assassinado no dia 5 de janeiro de 2014 no Parque Bandeirante em Rio Verde, Sudoeste Goiano.

    Os réus, Luciano Santos da Silva e a esposa Yara Lucia Oliveira Ramalho, são os acusados pelo assassinado e confessaram o crime.

    Segundo os familiares a atuação da Polícia Civil neste caso foi fundamental.

    “Ficamos agradecidos a todos da Polícia Civil”, disse um dos familiares.

    Segundo o advogado Claudenir Pereira de Sousa, tio da vítima, o Delegado Regional Danilo Fabiano Carvalho e Oliveira e Adelson Candeo Junior, delegado do Grupo Especial de Repressão a Narcóticos, comandaram a investigação que resultou em uma resposta rápida e positiva.

    Ele elogiou ainda os agentes e escrivães, José Junior, Valdivino e Claudinei, que em três dias elucidaram o crime obtendo a confissão dos criminosos.

    Luciano e Yara Lucia foram presos pela Polícia Civil na casa deles, bairro Jardim Helena, em cumprimento de Mandado de busca e apreensão.

    O casal havia sido autuado por homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e por meio de recurso que impossibilitou a defesa da vitima.

    Detalhes sobre o crime:

    Testemunhas informaram a Policia Militar que Neython estaria estacionando uma moto quando se envolveu em um pequeno acidente, com uma mulher que conduzia outra motocicleta (Yara). A partir disso houve uma discussão e troca de palavrões.

    A mulher saiu do local fazendo ameaças e em poucos minutos retornou e perguntou as pessoas que estavam em frente à casa se elas estavam a fim de confusão.

    Após sair novamente conduzindo a moto, a mulher retornou em pouco tempo como passageira da motocicleta conduzida por um homem (Luciano) de estatura média, magro, cor negra, sem camisa, usando boné e armado.

    Desesperada, a esposa de Neython entrou na frente dele como se fosse um escudo de proteção e pediu para que o tal homem não o matasse.

    Uma testemunha que preferiu não se identificar disse que a cena foi de revolta e muita dor.

    “Ela pedia desesperada que o marido não fosse morto, parece que pressentia que ele seria morto”, Disse a testemunha.

    A testemunha disse ainda que o homem recuou e disse que não ia atirar. Quando a esposa da vítima saiu da frente, ele efetuou os disparos.

    Para o julgamento no Tribunal do Júri de Rio Verde, os familiares esperaram a condenação dos acusados.

    Fonte: Ely Nogueira/Plantão Policial RV

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.