• Publicado em

    Caso Vitória: vítima parecia conhecer mulher presa, diz servente de pedreiro em interrogatório

    Em interrogatório, um dos suspeitos afirma que mulher presa foi buscar Vitória em Araçariguama, no interior de São Paulo.

    mulher indiciada pela morte da adolescente Vitória Gabrielly Guimarães Vaz, de 12 anos, parecia conhecer a vítima, segundo o interrogatório do servente depedreiro Júlio César Lima Ergesse, divulgado nesta segunda-feira (2).

    A TV TEM teve acesso aos interrogatórios de Júlio e do casal Bruno Marcel de Oliveira e Mayara Borges de Abrantes. Os três suspeitos de envolvimento no desaparecimento e morte da menina foram indiciados por homicídio doloso.

    Segundo descrito no documento, o servente afirma que encontrou os dois na Avenida Brasil Japão, em Mairinque, no dia 8 de junho, e que Bruno o chamou para ir até São Roque para buscar drogas, no bairro Goianã.

    No entanto, o motorista teria pego outro sentido e ido até Araçariguama. Já na cidade, ainda conforme o relato dele à polícia, Mayara desceu do carro, andou pelas ruas próximas e retornou com a vítima, que parecia conhecer a mulher.

    Em contrapartida, no interrogatório de Mayara consta que ela nega ter ido até a cidade e colocado a menina no veículo. A suspeita ainda alega que Júlio “está poupando os verdadeiros culpados ou está ficando louco”.

    Bruno confirma a versão apresentada pela esposa e destaca que Júlio o acusou por uma dívida de drogas. Os três foram indiciados pela Polícia Civil e estão presos em cadeias da região de Sorocaba.

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.