• Publicado em

    Chacina na BR 060: Dois eram suspeitos de outro crime

    O Delegado investiga se a chacina teria sido motivada por vingança.

    Duas das cinco pessoas mortas na madrugada de ontem em Acreúna, cidade a 152 quilômetros de Goiânia, eram suspeitas de participar da morte do dono de um bar, no ano passado, durante uma briga. Os cinco corpos foram encontrados debaixo da ponte que passa sobre o Rio Verdão, no KM 153 da BR-060, na entrada de Acreúna.

    O delegado Daniel Gonçalves Moura investiga se a chacina teria sido motivada por vingança, apesar de as cinco vítimas serem usuárias de drogas. “Não há elementos que apontem para um acerto de contas por causa de dívidas de droga”, afirma.

    Além de Wagner Saturnino de Souza, de 28 anos, e Vanilda Rodrigues Vicente, de 41, que eram investigados por participação no homicídio do dono de bar, foram mortos André Pereira da Costa, de 31, e outras duas pessoas ainda não identificadas. Segundo o delegado, eles não tinham documentos. “Eram andarilhos e provavelmente não são de Acreúna.”

    O delegado acredita que foram executados para que não houvesse testemunhas do crime. Wagner e Vanilda eram companheiros e moravam debaixo da ponte desde que a casa deles desabou.

    IMG-20151008-WA0210Um irmão do dono do bar teria sido detido e solto por falta de provas, mas o delegado não confirma essa informação.

    Ele adianta, no entanto, que já existem suspeitos da chacina, que teria ocorrido por volta das 4 horas da madrugada de ontem.

    A Polícia Militar, que atendeu à ocorrência, recebeu uma ligação anônima dando conta dos tiros.

    A Polícia Rodoviária Federal também participou do atendimento, uma vez que a rodovia é federal.

    Os corpos das cinco vítimas da chacina foram levados para o Instituto Médico Legal (IML) de Rio Verde. (Fonte O Popular)

    Assista a matéria;

    Assista:

     

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.