• Publicado em

    Comandante da CPE de Rio Verde é preso suspeito de estuprar irmãs de 11 e 12 anos em Rio Verde

    As duas vítimas têm 11 e 12 anos. Elas foram sequestradas na casa da avó na madrugada do dia 22.

    De acordo informações obtidas pelo repórter Jota Junior o “Coiote”,  o Major Cristiano Silva de Macena comandante da Companhia de Policiamento Especializado (CPE),  foi preso na tarde desta quarta-feira (23), suspeito de ser o autor do estupro contra duas irmãs de 11 e 12 anos. O crime aconteceu na madrugada de segunda-feira (22), na Vila Verde, em Rio Verde.

    Após conseguir imagens de câmera de segurança da região a Policia Civil constatou que no dia do crime o autor estava em uma camionete de cor marrom, e entrou na vila com a placa adulterada com fita adesiva e após realizar o sequestro das duas meninas saiu do local com a placa original do veículo. Foi constatado que a caminhonete estava no nome da esposa do Major.

    Leia também: Exame para Pessoas Privadas de Liberdade conta com mais de 40 mil inscritos 

    As vítimas reconheceram na delegacia as características do Major, bem como a  arma e a camionete usada por ele. No dia da invasão o autor utilizou um tambor para pular o muro da residência.

    A PC acredita que ele tenha premeditado o crime, pois ele já esteve na residência no inicio deste ano em uma operação relacionada a carros, ocasião em que um parente das garotas foi preso.

    As garotas relataram a Polícia que foram levadas a uma residência onde havia poucos moveis, e após serem abusadas, o estuprador perguntou onde elas queriam serem deixadas. Elas pediram para serem deixadas perto da escola do Bairro, pois assim saberiam voltar para casa.

    Na Delegacia o suspeito manteve se calado e não quis se pronunciar durante o depoimento. Diante das provas apresentadas pela PC, ele foi autuado em flagrante por sequestro, estupro de vulnerável e em seguida foi levado para Goiânia onde seguira preso em um quartel militar.

    A Polícia Militar recebeu a notícia com repudio e se manifestou favorável a uma punição rigorosa ao autor desta barbárie.

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.