• Publicado em

    Como Aquaman, Shazam e Coringa finalmente vão ajudar a DC a vencer a Marvel nos cinemas

    A DC precisa de mais uma reinvenção nos cinemas.

    Após o plano Zack Snyder desagradar ao público e os executivos da Warner Bros, o estúdio prepara uma nova fase da DC nos cinemas, começando com Aquaman e Shazam!, mas também trazendo um leque promissor de projetos pelo caminho.

    Veremos aqui como esses novos filmes irão trazer a força que a DC precisa para finalmente superar seu grande rival, a Marvel Studios, nos cinemas.

    ESCALA ÉPICA

    O trailer de Aquaman é de um deslumbramento visual impressionante. Raramente vemos um filme de super-heróis com uma atenção tão grande a seus detalhes e enquadramentos, onde vemos como James Wan realmente quer fazer um longa que honre a palavra épico. Não é sobre quantos personagens estão em tela, mas sim a riqueza de suas composições. Aquaman definitivamente vai entregar nesse quesito.

    DIRETORES COM MUITA PERSONALIDADE

    Por mais que os filmes da Marvel sejam em sua maioria eficientes no cinema, nenhum dos diretores pode ser considerado um autor. Com exceção de Ryan Coogler em Pantera Negra, todos os diretores ali são bons operários e executores eficientes, mas na DC a situação é outra. James Wan já se provou como um dos mestres do terror contemporâneo, enquanto David F. Sandbergtambém cresceu no horror e promete explorar um lado mais cômico com seu Shazam! Além da dupla, Patty Jenkins já se mostrou sábia pela execução clássica de Mulher-Maravilha, Todd Phillips promete algo experimental com Coringa e ninguém menos do que Matt Reeves promete uma visão única para o Cavaleiro das Trevas. É um time de nomes muito mais impressionante do que aquele visto na Casa das Ideias.

    ABRAÇANDO A FANTASIA

    Um dos pecados do Universo DC em seus primórdios foi se levar a sério demais. Em sua nova fase, a DC parece mais disposta a abraçar cores e conceitos mais fantasiosos, como pudemos ver no retrato de Temiscira em Mulher-Maravilha e no espetáculo de cores que é a Atlantis de Aquaman, de acordo com o trailer. O próprio visual do Shazam é uma amostra disso, sendo uma adaptação praticamente literal de uma página de quadrinhos, surgindo muito mais cartunesco do que as reinvenções modernas de Zack Snyder para o visual da Liga.

    METALINGUAGEM

    Como visto no primeiro trailer de Shazam!, finalmente teremos uma abordagem metalinguística para o conceito do super-herói na DC. Os eventos de O Homem de Aço e Liga da Justiça fazem parte do universo onde a aventura de Billy Batson se ambiente, trazendo um frescor que nem mesmo a Marvel explorou ainda, tendo um super-herói inspirado pelos atos de outro. É algo também que recupera a diversão de se ter super-poderes, elemento que praticamente nenhuma das editoras preservou.

    IGNORANDO CRONOLOGIA

    Após o sucesso de Mulher-Maravilha, Patty Jenkins pôde fazer o que quiser com a continuação do longa com Gal Gadot. Ignorando a informação estabelecida em Batman vs Superman, de que a Amazona havia ficado escondida por 100 anos, Jenkins levou o filme para o ano de 1984. Isso mostra que a nova fase da DC vai ignorar problemas (não faria sentido ver Diana desistindo da Humanidade por um século) e aproveitar o melhor de suas histórias individuais, prometendo algo especial para 1984.

    CONSTRUINDO NOVOS UNIVERSOS

    Libertando-se da sina dos universos compartilhados, a nova fase da DC vai apostar em algo arriscado: diferentes versões dos mesmos personagens no mesmo período. É algo comum nos quadrinhos, como quando um romance gráfico é lançado em meio a uma série, e que pode funcionar nos cinemas. O filme do Coringa de Todd Phillips é a chance de fazer algo mais autoral e com identidade, sem ficar preso à conexões ou histórias incompletas que esse modelo de produção costuma gerar.

    Fonte/Observatório Cinema

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.