• Publicado em

    Corpo de adolescente é esquartejado e encontrado em freezer em Goiás

    Ex-companheiro da jovem, que tinha 17 anos, é o principal suspeito. Ele foi denunciado pelo próprio pa

    De acordo matéria do Dia Online, uma adolescente de 17 anos foi morta, teve o corpo esquartejado e escondido dentro de um freezer de uma casa, em Águas Lindas de Goiás, no Entorno do Distrito Federal. O principal suspeito do crime é o ex-companheiro da jovem, um açougueiro, que está foragido. A denúncia foi feita pelo pai do suspeito.

    A vítima, identificada como Ketley Estefany Silva Nascimento, de 17 anos, morava em Águas Lindas há pouco tempo. Ela era natural de Paratinga, na Bahia. Ainda não se sabe o que teria motivado o crime.

    Pai de suspeito encontra corpo de adolescente esquartejado e guardado no freezer de casa e faz denúncia à polícia
    O corpo da adolescente foi encontrado dentro do freezer da geladeira do ex-companheiro na tarde desta segunda-feira (20/1).

    O pai do suspeito, que foi quem encontrou o corpo, foi até a Central de Flagrantes da cidade e informou que seu filho havia matado a ex, esquartejado o corpo e o colocado dentro do freezer de casa.

    No entanto, o homem não soube dizer como tudo teria ocorrido e onde estaria seu filho. O caso é investigado pela Polícia Civil.

    Outro crime bárbaro

    Além do corpo da adolescente que foi esquartejado e colocado em freezer, outro crime bárbaro marcou essa segunda-feira (20/1). Em Anápolis, a 59 quilômetros de Goiânia, uma grávida de seis meses morreu na porta de uma lanchonete, após ter o pescoço cortado. Segundo a ocorrência, antes de morrer a mulher ainda conseguiu escrever o nome do assassino com o próprio sangue. O suspeito foi preso na madrugada desta terça-feira (21/1), em casa, enquanto dormia.

    Os primeiros levantamentos apontam que o crime ocorreu por conta de uma dívida por drogas. As informações iniciais apontam ainda que o homem e a mulher estavam na lanchonete, localizada na rua Nova Olinda, no bairro Alexandrina, quando ocorreu um desentendimento e ele a matou com um corte no pescoço. Ainda não se sabe qual a ligação entre o casal.

    A mulher, que estava grávida de seis meses, não portava documentos pessoais, mas foi identificada por testemunhas como ‘Lucieninha’. O suspeito foi identificado como Marcondes. A informação de que a vítima teria escrito o nome do autor do crime antes de morrer, com o próprio sangue, foi confirmada ao Dia Online pela equipe que atendeu a ocorrência.

    Escrito por/Thyélen Lorruama

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.