• Publicado em

    Corpo de mulher é encontrado fora da cova e seminu: “Apavorante”

    A vítima de 49 anos foi enterrada no último domingo. Polícia não descarta a possibilidade de abuso sexual

    A polícia de Gravataí, no Rio Grande do Sul, apura a violação de um túmulo no cemitério Rincão da Madalena. O corpo de uma mulher de 49 anos foi encontrado por familiares fora da cova e sem parte das roupas nessa segunda-feira (11/11/2019). As informações são do G1.

    Os investigadores do caso não descartam a possibilidade de abuso sexual. “Retiraram o corpo, levaram para uma área verde que pertence à prefeitura e, pelos sinais, há indicativo de que possa ter sofrido algum ato com conotação sexual”, informou o delegado Márcio Zachello.

    Leia também: Enem 2019 registrou menor taxa de ausentes desde 2009; confira balanço

    Jaqueline Veras, uma das irmãs da mulher, contou que a vítima foi levada ao hospital no sábado (09/11/2019) com insuficiência respiratória. A morte foi atestada no mesmo dia, e o enterro ocorreu no último domingo (10/11/2019). De acordo com Jaqueline, o caixão ficou acima da terra.

    No dia seguinte, a família recebeu uma ligação anônima afirmando que o corpo da irmã não estaria na cova. Ao chegar ao local, a sepultura estava quebrada. “Quem sabe teria saído, sobrevivido. Na hora, foi uma coisa apavorante”, contou.

    “Umas quatro quadras de lápides depois, tinha uma roupa pendurada, e lembrei que era a saia que tinha colocado nela. Fui um pouco [adiante] e vi o corpo dela”, contou ao portal.

    Até o momento, nenhum suspeito foi identificado. Procurada, a prefeitura de Gravataí afirmou que a segurança do cemitério é feita por uma empresa terceirizada. No entanto, informou que enviou uma notificação para explicar o ocorrido.

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.