• Publicado em

    Daniel Vilela discorda de preferência do PMDB por Caiado: “DEM representa muito pouco”

    Deputado federal sustenta que foco do partido deve ser unir a oposição em Goiás. No entanto, PT na cabeça de chapa é “fora da realidade”

    O senador Ronaldo Caiado (DEM) não é preferência no PMDB por unanimidade. Em entrevista ao Jornal Opção Online, o deputado federal Daniel Vilela — que afirmou não ter sido convidado ao encontro de peemedebistas com o democrata na casa de Iris Rezende na noite da última quinta-feira (19/2) — explicou que o foco não deve ser apenas o senador. “Não é exclusivamente ele. O DEM representa muito pouco”, sustentou.

    Conforme opinou o parlamentar, Caiado é uma figura importante, mas é maior que o partido dele. “O DEM se tornou um partido nanico; tempo de TV é irrisório”, completou deputado ao assinalar que PMDB deve ter outras prioridades.

    Para o deputado, a legenda deve trabalhar para conciliar e unir os partidos fora da base do governador Marconi Perillo (PSDB), procurando alianças com várias siglas, e não apenas com uma específica.

    “Não podemos pensar em problemas nacionais e perder as eleições aqui por não estarmos unidos”, disse. Oposição unida em Goiás significa que PT e DEM — partidos não aliados a nível nacional — juntos.

    Como parte da busca por maior aliança e manutenção de uma oposição forte para 2016, Daniel Vilela cita o PTB. “É uma sigla que está claramente sendo desprestigiada pelo governo, sendo agora o momento de conversar com seus integrantes”, garante. O PMDB, de acordo com Daniel, deve capitalizar os partidos que se sentirem preteridos pelo governo estadual nos próximos anos.

    PT na cabeça de chapa?

    “Não acredito nisso. É uma possibilidade fora da realidade”, rebateu o peemedebista ao ser questionado sobre possibilidade da oposição se unir com um integrante do PT na cabeça de chapa para 2016.

    A afirmação vem contradizendo o que o também deputado federal Rubens Otoni (PT) confidenciou ao Jornal Opção Online. Para o petista, é bem possível uma aliança entre PT e PMDB nas próximas eleições com o PT na liderança.

    Daniel Vilela reiterou o que já foi dito por José Nelto, quanto à ambição do PMDB ter candidato em todas as cidades de Goiás. “Vamos trabalhar para isso, e o PMDB tem capacidade”, garantiu.

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.