• Publicado em

    Diamantes fazem parte da história da humanidade

    Na foto: o Gemólogo e Perito Judicial, Hugo Werner Flister, que faz parte Associação dos Peritos Judiciais, Árbitros, Conciliadores e Mediadores de Minas Gerais (ASPEJUDI). Crédito: GC.

    Em razão de sua raridade e beleza, por milhares de anos os Diamantes fizeram parte de muitas histórias e lendas. Ou seja, permanecendo como objeto de desejo no mundo moderno, utilizado como decoração e adorno, símbolo de riqueza e poder, duráveis e de grande dureza e moeda com cotação mundial. Em entrevista, o Gemólogo e Perito Judicial, Hugo Werner Flister, que faz parte Associação dos Peritos Judiciais, Árbitros, Conciliadores e Mediadores de Minas Gerais (ASPEJUDI), fala sobre esse mercado e as modificações.

    – Pela sua experiência, quais são as utilizações dos Diamantes?

    Vai desde industriais – em função da dureza (10), máxima na escala de Mohs – em equipamentos e ferramentas de precisão, e para outros variados fins, como por exemplo, brocas odontológicas. Já no setor joalheiro, como principal elemento de embelezamento nas joias, além do uso como moeda com cotação mundial em investimentos empresariais e patrimônios pessoais.

    – Quais são os fatores ou características que valorizam um Diamante?

    Para a devida classificação são utilizados parâmetros internacionais para graduação de cor, pureza e lapidação, além do fator determinante: o peso que é medido em quilate.

    – Para as pessoas que têm Diamantes em casa, ou mesmo guardado como patrimônio, como pode ser feita a avaliação monetária dessa pedra?

    Sempre com base nos resultados dos critérios de classificação e com base nas tabelas referenciais de preços, utilizadas mundialmente.

    – Existe algum critério ou algo fundamental na compra de um Diamante? Explique.

    A certificação de legitimidade, que é o documento de identidade, onde constam características e dados técnicos relevantes para a identificação, classificação e avaliação monetária do diamante, além da assinatura do responsável técnico credenciado, que é o Gemólogo.

    – Existem muitas falsificações no mercado?

    Sim, desde simples Zircônias, como também novos materiais produzidos com utilização de modernas e avançadas tecnologias.

    – Para qual finalidade?

    Estes materiais são amplamente utilizados em diversos aparelhos, instrumentos e ferramentas em razão de sua dureza máxima (grau 10 na escala de Mohs). Porém, em função de sua grande semelhança, são comumente comercializados no mercado como se Diamantes verdadeiros fossem.

    – Como reage o mercado?

    Em se tratando de inovações e em função da similaridade existente nestes materiais, criou se dificuldades no mercado de Diamantes, no que tange a certificação de legitimidade. Assim, gerando insegurança no mercado, levando até, instituições financeiras a não mais aceitar Diamantes como garantia nos contratos de penhor dos empréstimos financeiros.

    Contato

    O escritório e laboratório  “H.Werner Perícias & Avaliações” está na Rua Pernambuco nº353 – Sala: 1005 – Bairro Funcionários – Belo Horizonte / Minas Gerais | esquina com Avenida Brasil. Os atendimentos são feitos através de agendamento pelos telefones: (31) 3273-2648 ou pelo: (31) 99907-5881. E-mail: [email protected] .

     

    Jornalista & Editor: Felipe de Jesus | Siga: @felipe_jesusjornalista

    - Jornalista & Editor de Belo Horizonte/MG do portal "Plantão JTI - Jornalismo Transparente e Interativo" desde o ano de 2017. Siga o Instagram: @felipe_jesusjornalista. _________________________________________________________________________________ Agência de Divulgação de Notícias - Pub & MKT: Diretor [ Grupo Conteúdo (GC) ] _________________________________________________________________________________ Advocacia: Ass. Adv. - [ FJB Advocacia - Assistência Jurídica & Empresarial ] - Membro da "Associação dos Advogados Empreendedores - (AAE/OAB)". _________________________________________________________________________________ Graduado em: Jornalismo pela (Faculdade - FESBH), Publicidade & Propaganda (Instituto Politécnico de São Paulo), Relações Públicas (Universidade UIB/EUA), Teólogo (Faculdade ESABI/BH-MG), Sociologia (Faculdade Polis das Artes/SP), Economia (Universidade USIP), Direito - Adv. (FACSAL/MG) e Ms. em Comunicação Social: Jornalismo e Ciências da Informação (Univ. UEMC/Espanha). _________________________________________________________________________________ Com larga experiência em coberturas da área de Cultura (Jornal & Assessoria de Imprensa): Shows, lançamentos de álbuns, livros e exposições de arte, trabalhou durante anos, também, fazendo coberturas e matérias na área de Economia (ao qual acabou se graduando posteriormente). Atualmente, além de editorar alguns portais de notícia no país, ser redator e administrador, escreve duas colunas semanais. Com a "Crítica Musical" (coluna que está no CulturalizaBH - Portal Uai ao qual é editor e financeiro) e a coluna "Opinião & Comportamento", que durante anos ficou no portal da RedeTV e hoje está no portal "Rondônia Digital". Desta coluna, surgiu o E-book: "Sociedade Conectada: A Influência da Internet no Cotidiano" - Ed. Escrita Certa (2019). "A escrita é a minha maior paixão" (Felipe de Jesus). _________________________________________________________________________________ [ Siga o Instagram: @felipe_jesusjornalista ]

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.