• Publicado em

    Dois alunos baleados por colega em escola voltam às aulas em Goiânia

    Outras duas estudantes seguem internadas

    Os estudantes Lara Fleury e Hyago Marques, ambos de 14 anos, baleados por um colega dentro de uma sala de aula do Colégio Goyases, em Goiânia, voltaram a frequentar a escola nesta terça-feira (31). A antiga sala do 8º ano, local onde ocorreu o ataque, foi transformada em um espaço de arte. Os estudantes foram recebidos pela direção e por uma equipe de psicólogos. As outras séries retornaram às aulas na segunda-feira (30).

    Os pais puderam acompanhar os filhos dentro da sala de aula. “É um recomeço. A Lara ainda está meio insegura e com coração apertado de rever os colegas, mas com fé que vai dar tudo certo e feliz por retornar. Ela queria muito voltar à realidade porque esse ambiente para ela sempre foi aconchego, amor e família. Senti que ela queria romper a barreira do sofrimento”, disse Lia Fleury, mãe de Lara, ao “G1”.

    O ataque aconteceu no dia 20 de outubro. Os tiros foram disparados por um aluno do 8º ano, de 14 anos. Ele usou uma pistola .40 da mãe, que é policial militar. O autor dos disparos foi apreendido e está num centro de internação.

    Os estudantes João Pedro Calembo e João Vitor Gomes, ambos de 13 anos, morreram no colégio. As outra duas estudantes baleadas, Marcela Macedo e Isadora Morais, seguem internadas no Hospital de Urgências de Goiânia.

    O boletim médico divulgado nessa segunda-feira (30) mostra que Marcela tem quadro regular, está consciente e respira espontaneamente. Já Isadora é mantida na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), também em estado regular, consciente, respirando de forma espontânea e com auxílio de oxigênio. Uma vértebra da jovem foi atingida pela bala, deixando-a paraplégica.


    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.