• Publicado em

    Dois PMs são presos por suspeita de chacina no RJ

    De acordo com as investigações, a chacina foi motivada pelo combate ao tráfico de drogas, no qual as vítimas teriam envolvimento.

    Dois policiais militares foram presos nessa quinta-feira (18) por suspeita de envolvimento em uma chacina dentro de um bar em Petrópolis, na Região Serrana do Rio. O caso, que aconteceu em março, deixou dois mortos e dois feridos. A Polícia Civil aponta ligações do crime com o tráfico de drogas.

    O delegado da 105ª DP, Claudio Batista Teixeira, disse ao ‘G1’ que um terceiro suspeito do crime ainda não foi identificado.

    As câmeras de segurança do bar registraram toda a ação. O vídeo mostra um carro de cor prata estacionado do lado de fora do estabelecimento, de onde os suspeitos disparam. As pessoas que estavam no local se assustam e saem correndo.

    Na sequência, dois homens entram no bar e procuram pelos seus alvos. Uma das vítimas chega a pular um freezer e se esconder embaixo da mesa, mas quando é identificado por um dos suspeitos, é baleado.

    Outro suspeito, também entra no bar neste momento e faz mais disparos contra a mesma vítima. Em seguida, os homens fogem.

    Um dos suspeitos foi preso no bairro Piedade, na Zona Norte do Rio, e o outro estava em casa no bairro Fazenda Inglesa, em Petrópolis.

    Ainda segundo o ‘G1’, com informações do delegado, ambos negam o crime. Os PMs trabalhavam em uma Unidade de Polícia Pacificado na Zona Sul do Rio de Janeiro, quando o crime foi cometido.

    Os policiais podem responder pelo crime de homicídio duplamente qualificado e tentativa de homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil, uma vez que tornaram impossível a defesa das vítimas.

    De acordo com as investigações, a chacina foi motivada pelo combate ao tráfico de drogas no bairro e no qual as vítimas teriam envolvimento.

    Fonte/Notícia ao Minuto

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.