• Publicado em

    Em depoimento Soldado alegou que tiro que matou namorada em Jataí foi acidental

    Investigador considera versão frágil e apura se corresponde com laudo pericial.

    “O disparo foi acidental”, foi o que disse o soldado da Força Nacional (FN), Josimar Pereira Silva, de 29 anos, durante o interrogatório para Polícia Civil nesta sexta-feira (10). O disparo matou a namorada dele, Nathalia Lima Costa, de 25 anos, em Jataí, no Sudoeste goiano. O militar permanece preso e a Força Nacional já abriu o processo para “desmobilização imediata” do profissional.

    Vítima: Nathalia Lima Costa, de 25 anos

    De acordo com o delegado Marlon Souza, o militar foi ouvido por duas horas e alegou que a jovem morava em Rio Verde, e ele em Mossoró, no Rio Grande do Norte, onde atuava na FN. No dia do crime, o soldado estava de folga em Jataí e a namorada foi para a cidade ficar com ele na casa de familiares.

    Em depoimento, Josimar alegou que tudo ocorreu após uma discussão decorrente de uma mensagem recebida, via celular, pela jovem. Segundo os registros, a jovem apagou a correspondência eletrônica imediatamente, o que causou a desconfiança do policial. “Ele questionou o motivo de ter apagado e perguntou se ela o estava traindo. Segundo o agente, a garota respondeu: ‘não estou traindo como deveria trair’”, revela o delegado.

    Na sequência, o policial alega ter pedido que a namorada se arrumasse, pois a levaria de volta para Rio Verde. Nesse instante, de acordo com Marlon, a mulher pegou a arma do agente, que estava sob um travesseiro, e apontou contra ele. “Segundo o suspeito, ela disse que se ele a deixasse, não seria de mais ninguém. Nisso ele teria se aproximado e entrado em luta corporal pela posse da arma, quando teria ocorrido o disparo”, ressalta Marlon.

    Laudo

    Agora a Polícia aguarda os laudos periciais para confrontar os resultados com a dinâmica relatada pelo suspeito. De acordo com o delegado, a versão de legítima defesa é frágil, comum e dita pela maioria dos agressores de mulheres. “Temos um indicativo que o laudo do exame cadavérico indica uma versão diferente. Vamos aguardar o laudo do local de crime e de caracterização e eficiência da arma”, afirma Marlon.

    Nathalia foi encontrada morta na quinta-feira (9) no quarto do namorado, que fugiu após o crime. Josimar se entregou na delegacia no dia seguinte e foi preso em flagrante. O delegado pediu que a prisão seja convertida em preventiva para que o suspeito permaneça detido. O policial deve ser indiciado por feminicídio.

    O Ministério da Justiça informou, por meio de nota, que levou o suspeito até a delegacia e que um inquérito já foi instaurado para uma investigação da Força Nacional, além do processo para desmobilização do policial.

    Assista ao Jornal Das 11;

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.