• Publicado em

    Em rede social, dançarina goiana assassinada comemorou noivado com suspeito. Veja última postagem

    Amanda Bueno, de 29 anos, foi baleada em sua casa na Baixada Fluminense nesta quinta-feira

    “Bom dia amores”. Esse foi o início da última postagem da dançarina Amanda Bueno, de 29 anos, em sua página do Facebook. Algumas horas depois, na noite desta quinta-feira (17), a jovem seria morta com um tiro na cabeça na Baixada Fluminense. 

    A informação foi confirmada pela DHBF (Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense) e o principal suspeito de ter cometido o crime é o noivo de Amanda, Milton Severiano Vieira. No domingo (12), Amanda e Milton oficializaram o noivado.

    O casal organizou uma festa para comemorar a união. Em sua página do Facebook, a jovem escreveu: “Aqui e só pra quem fecha e cola comigo assim está sendo meu noivado. Que Deus abençoe.. Minha vida e a de vcs todos [sic]”.

    O casal organizou uma festa para comemorar a união. Em sua página do Facebook, a jovem escreveu: 'Aqui e só pra quem fecha e cola comigo assim está sendo meu noivado. Que Deus abençoe.. Minha vida e a de vcs todos [sic]'

    4xe5m121wu_54vwp2q3o_fileO crime ocorreu após uma briga do casal. Segundo a polícia, Amanda teria recebido uma ligação da ex-namorada de Milton falando que o suspeito estava traindo a dançarina com ela.

    Ainda segundo a polícia, o casal teria começado a brigar após Amanda questionar o companheiro sobre a traição.

    De acordo com testemunhas que ouviram o barulho do tiro, Amanda foi morta pelo companheiro no jardim de casa.

    O suspeito fugiu após efetuar o disparo.

    Milton foi preso no final da noite desta quinta-feira, no Rio de Janeiro. O suspeito, de 32 anos, acabou detido após capotar com um carro roubado quando tentava fugir de policiais da DHBF, que faziam uma perseguição ao autor do crime.

    O veículo ocupado pelo companheiro de Amanda teria sido roubado logo após o assassinato da funkeira.

    Família ‘abaladíssima’

    O corpo de Amanda foi levado para o Instituto Médico-Legal (IML). De acordo com uma amiga, que não quis se identificar, a dançarina, que na verdade se chama Cícera Alves Sena e nasceu em Trindade, na Região Metropolitana de Goiânia, tinha uma filha de 11 anos, que mora com a avó. A familía, segundo ela, está ‘abaladíssima’.

    “Mesmo morando no Rio, ela era uma mãe muito presente e falava sempre com a filha pelo telefone. Elas tinham muito carinho uma pela outra”, disse a amiga.

    Os parentes ainda sabem pouco sobre o caso. Uma irmã de Amanda já viajou para o Rio para poder liberar o corpo, que será enterrado em Goiânia.

    Adaptações Plantão JTI
    Fonte R7
    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.