• Publicado em

    Em vídeo, pastor dança hit “louca pra sentar na minha piroca”

    Polemica.

    O deputado pastor Isidório (PDT), candidato derrotado a prefeito de Salvador, sempre surpreende com uma cena hilária ou polêmica. Ele não venceu a disputa à prefeitura, mas ainda surgem vídeos na internet das suas andanças durante a campanha. Dessa vez, ele aparece em um paredão de som, cercado de pessoas bebendo e dançando, em cima de um carro de som. Isidório dança ao som – pasmem – da banda La Fúria, no seguinte refrão: “tá louca pra sentar na minha piroca”.

    Depois de dançar com a Bíblia na mão, o então candidato desceu do carro. Quando já estava saindo, eis que começa um trecho onde o cantor Bruno Magnata canta: “o Senhor é meu pastor, e nada me faltará”. O político ainda posa para fotos com admiradores, mas todo esse esforço não adiantou, pois a resposta nas urnas não o levou à prefeitura.

    Em resposta através de nota oficial, a assessoria explicou: “Informo que o vídeo divulgado foi gravado no dia da eleição (02/10) e do ponto de onde o mesmo foi gravado capturou o áudio desta canção que nem conheço ou me lembro. Até porque dançei toda a campanha, a música do Doido e toda vez que jovens me convidaram para estar junto deles, naturalmente não só com outros sons / músicas tomando cerveja, o que a eles, principalmente na mocidade é normal, por não terem JESUS como seu Salvador. Todavia, são meus patrões, pagam com seus impostos o meu salário. Fazendo com que a eles eu deva, no mínimo, o respeito e a consideração. O vídeo mostra bem eu dançando a coreografia da nossa música de campanha, que também tocava no rol dos paredões, conforme pode ser percebido. Quero deixar claro que tenho um perfil popular e não concordo com preconceitos de qualquer ordem. Em anexo segue nosso jingle, música que eu estava dançando quando fui gravado e algumas imagens que evidenciam nosso perfil popular que interage mesmo com todas as classes sociais”.

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.