• Publicado em

    Feriado é marcado por festival de ultrapassagens irregulares nas BRs em Goiás

    Uma colisão frontal após uma ultrapassagem mal sucedida na BR 153, deixou duas vítimas mortas.

    O feriado de Corpus Christi foi movimentado nas rodovias federais que passam por Goiás. Movimento intenso especialmente na BR 153, por onde os turistas acessam Caldas Novas e também na BR 414, que liga Anápolis a Pirenópolis e Corumbá.

    De quarta-feira (02), quando a PRF iniciou o reforço na fiscalização para o feriado, até a meia-noite de domingo (06), os policiais rodoviários federais fiscalizaram 8.300 veículos e 7.700 pessoas nos quase três mil quilômetros de Brs goianas. Foram flagradas mais de 2,7 mil infrações de trânsito, sendo quase mil ultrapassagens (948), 250 condutores ou passageiros sem cinto de segurança, 30 crianças transportadas fora da cadeirinha e 81 condutores dirigindo embriagados, três deles foram presos.

    Quatro pessoas morreram durante o feriado em acidentes de trânsito. Uma colisão frontal após uma ultrapassagem mal sucedida na BR 153, em Jaraguá, região central do estado, deixou duas vítimas mortas. Uma colisão traseira entre veículos de carga na região sudeste, entre Catalão e Campo Alegre, tirou a vida da mãe e deixou o filho de 8 anos gravemente ferido. Um indígena morreu depois de ser atropelado na BR 070, em Aragarças, na divisa com o MT.

    Muitos crimes foram flagrados pelos PRFs e 21 pessoas foram presas nas rodovias federais ao longo desses cinco dias. Três veículos foram recuperados, 62 quilos de cocaína apreendidos, três armas de fogo e 60 munições foram retirados de circulação, além de produtos de contrabando e descaminho.

    De quarta a domingo a PRF atendeu 36 acidentes, que deixaram 36 pessoas feridas e quatro óbitos nas rodovias federais que passam por Goiás.

    O vídeo abaixo é de um acidente com duas mortes após ultrapassagem mal sucedida na BR 153, em Jaraguá.

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.