• Publicado em

    Gerente de cooperativa é preso em Jataí suspeito de desviar mais de R$ 2 milhões em MT

    De acordo com a PF, o gerente foi preso em Jataí, Goiás, e foi encaminhado para a sede federal em Barra do Garças. Suspeito teria feito saques nas contas dos clientes, liberação indevida de cheques e outras fraudes.

    De acordo matéria G1 MT, ogerente de uma agência bancária foi preso na manhã desta quinta-feira (1º) suspeito de ter desviado mais de R$ 2 milhões da instituição financeira, em Barra do Garças, a 516 km de Cuiabá. Segundo a Polícia Federal, a operação ‘Prenda-me se for capaz’ ainda cumpriu um mandado de busca e apreensão e a quebra do sigilo bancário. A PF não divulgou o nome do gerente e nem o nome do banco.

    De acordo com a PF, o gerente foi preso em Jataí, Goiás, e foi encaminhado para a sede federal em Barra do Garças. A operação é feita para coibir a prática de crimes contra o Sistema Financeiro Nacional.

    A investigação teve início em fevereiro de 2017 para apurar a suposta prática de gestão fraudulenta e apropriação indébita em um banco situado em Barra do Garças. Denúncias apontaram inúmeras fraudes na gestão da cooperativa, cometidas pelo gerente-geral, o qual foi preso preventivamente na operação por ser o suposto autor do delito.

    Em síntese, as fraudes consistiam em utilização de artifícios destinados a manter em erro os cooperados e, dessa forma, obter vantagem ilícita. Estima-se um desvio de R$ 2 a 4 milhões.

    O gerente teria cometido diversas fraudes, entre elas: saques em contas dos cooperados sem as respectivas autorizações; empréstimos simulados; adiantamento de créditos a depositante em valores elevados; não fornecimento de informes financeiros de Imposto de Renda; liberação indevida de cheques; descontos não autorizados de notas promissórias rurais e saques através de cheques supostamente falsificados.

    Prenda-me se for capaz

    O nome da operação é uma referência ao filme ‘Prenda-me Se For Capaz’, onde as atitudes do personagem principal (Leonardo di Caprio) se assemelham ao gerente investigado.

    No filme, o ator interpreta um homem conhecido pelas suas artimanhas contra o sistema bancário e que por diversas vezes consegue driblar a polícia, estando sempre foragido. Porém, no fim da trama, o criminoso é capturado e preso, tal qual o principal investigado pela PF.



    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.