• Publicado em

    Goiás recolhe mais de três mil toneladas de embalagens de agrotóxicos em 2014

    Só a central de Jataí recebeu no ano passado cerca de 500 toneladas de embalagens.

    .

    Desde 2002, produtores rurais são obrigados a devolver as embalagens vazias de agrotóxico utilizadas nas lavouras.

    A medida é ambienta, para evitar a contaminação de rios e solos.

    Só em Goiás foram recolhidas no ano passado mais de três mil toneladas de embalagens.

    Todo ano é a mesma coisa os produtores se utilizam dos agrotóxicos para combater as pragas na lavoura, em algumas propriedades a aplicação de defensivos agrícolas aumentou bastante, o que significa também que são mais embalagens de agrotóxicos nas fazendas.

    agro
    O problema é que muitas vezes elas não são descartadas de forma correta. Os recipientes vazios não podem ser descartados em qualquer lugar, por lei os produtores devem entregar as embalagens em centrais de recolhimentos.

    Segundo orientações de um produtor antes das embalagens serem descartadas deve ser feito uma tríplice lavagem para tirar todo resido do produto, e até serem enviados as centrais de recolhimento, os recipientes devem ser armazenados em locais cobertos.

    O prazo para a entrega das embalagens é de um ano após a compra dos defensivos, em caso de descumprimento o agricultor pode ser multado ou até responder por crime ambiental.

    Só a central de Jataí recebeu no ano passado cerca de 500 toneladas de embalagens, no local é feita a compactação dos recipientes que são encaminhados para as indústrias que os reciclam em São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

    Adaptações Plantão JTI
    Com informações da TV Anhanguera

    LISTA TELEFONIA A NOVA NOVIDADE DO SITE

    CONHEÇA A LISTA TELEFÔNICA DO NOSSO SITE CLIQUE AQUI

    CONHEÇA A LISTA TELEFÔNICA DO NOSSO SITE CLIQUE AQUI

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.