• Publicado em

    Google cria competição para incentivar meninas a criarem jogos para celular

    Desafio é destinado a meninas entre 15 e 21 anos do Ensino Médio

    Desafio Change the Game (Mude o jogo, em tradução livre) foi criado pelo Google Play com o objetivo de incentivar meninas a desenvolverem jogos para celular. As inscrições podem ser feitas até o dia 30 de setembro e têm como público-alvo meninas de 15 a 21 anos matriculadas no Ensino Médio. As propostas enviadas devem contemplar o tema “O que eu quero ver no futuro”.

    No site do Change the Game está disponível um formulário com os dados necessários para efetivação da inscrição. É necessário descrever a ideia do jogo, o seu funcionamento e estratégias para atrair jogadores, entre outras. O formulário também possibilita anexar imagens com rascunhos e desenhos do jogo imaginado pela candidata. Além disso, deverá ser informado dados pessoais e da instituição de ensino onde estuda.

    Leia também: 15 livros mais cobrados nos vestibulares para baixar de graça

    As duas vencedoras terão a oportunidade de trabalhar presencialmente com empresas de desenvolvimento de jogos durante cinco dias na cidade de São Paulo. Elas poderão participar de sessões de planejamento e criação para absorver novos conhecimento sobre atuação na área.

    Os jogos ganhadores ficarão disponíveis no Google Play, plataforma de aplicativos do Google, por um ano. Além disso, o concurso premiará as ganhadoras e mais 500 selecionadas com acesso a 16 cursos online sobre programação para desenvolvimento de jogos.

    O Desafio “Change the Game” possui um júri composto somente por mulheres que se destacam na área de tecnologia, engenharia, design, administração, etc. O objetivo é promover a representatividade feminina no mercado da tecnologia.

    Assista ao Jornal Das 11;

     Fonte: E+B Educação | Gabriele Silva

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.