• Publicado em

    Homem chama a polícia por causa de ‘cerveja que não fazia efeito’ e é preso

    De acordo com essas testemunhas, o suspeito se valia recorrentemente da prática de deixar os estabelecimentos sem pagar pelo que havia consumido.

    Agentes da Operações Lapa Presente prenderam, na noite desta terça-feira, um homem que já somava 48 passagens pela polícia. Curiosamente,o poder público foi acionado pelo próprio suspeito. Mário Augusto Martins, de 47 anos, chamou a PM para queixar-se de uma suposta fraude. Segundo ele, um estabelecimento da Lapa, bairro boêmio na região central do Rio, havia lhe servido uma “cerveja que não fazia efeito”.

    Desconfiados do comportamento do homem, os policiais militares conduziram o suspeito à 5ª DP (Mem de Sá), onde ficou constatado seu histórico de crimes. A maior parte dos delitos cometidos por Mário corresponde ao artigo 176 do Código Penal, que trata do popular “calote” – ou, como consta na lei, “tomar refeição em restaurante, alojar-se em hotel ou utilizar-se de meio de transporte sem dispor de recursos para efetuar o pagamento”.

    Na delegacia, gerentes e garçons de bares na Lapa já estavam registrando ocorrência contra Mário, pelo mesmo motivo. De acordo com essas testemunhas, o suspeito se valia recorrentemente da prática de deixar os estabelecimentos sem pagar pelo que havia consumido.

    Ao ser confrontado com as vítimas, Mário descontrolou-se e começou a depredar a delegacia. Antes de ser autuado por estelionato e dano, ele chegou a danificar computadores e a porta da unidade.

    Adaptações Plantão JTI
    Fonte/ Extra
    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.