• Publicado em

    Homem é detido acusado de abuso sexual em Jataí

    A vítima chegou a ser hospitalizada e disse que foi forçada a manter relação sexual com o acusado.

    De acordo o Boletim de ocorrência da PM, no Sábado (05), a central de atendimento (COPOM) recebeu a ligação da assistente social do Hospital das Clinicas de Jataí a qual relatou via telefone (190) que estava no hospital das Clínicas Dr. Serafim de Carvalho para ser atendida a vítima, e que na ocasião esta relatou que havia sido violentada e agredida durante uma relação sexual, imediatamente o COPOM empenhou uma a viatura policial a deslocar-se até o Hospital para averiguação e demais providencias cabíveis.

    Já na unidade de saúde a equipe conversou (realizou a entrevista policial acerca dos fatos ocorridos) sendo relatado pela vítima que no dia 04/06/2021 por volta das 22h30 havia marcado um encontro com o acusado e tal encontro seria na residência do autor.

    Na residência, o autor segurou a vítima e iniciou o ato sexual com a vítima, ato este não consentido pela vítima, a mulher lutou das maneiras possíveis que encontrou no momento, uma vez que a compreensão física do autor é muito superior a compreensão física dela, empurrando fazendo movimentos forte com o quadril para evitar a penetração, fechando as pernas de forma que não ocorre-se a penetração, porém mesmo assim não conseguiu, mediante a situação de medo, localidade e outras situações desfavoráveis a vítima acabou por “consentir” a relação sexual forçada, durante a relação o autor a segurava forte chegando em algumas ocasiões a pegar no pescoço da vítima como se fosse enforcar a mesma, determinado momento o autor tentou manter relação sexual anal com a vítima, houve novamente luta e negação por parte dela, para que tal modalidade de relação sexual não ocorre-se, que somente após o autor concluir a relação sexual a vítima percebeu que este durante o ato sexual conseguiu retirar o preservativo sem que a vítima pôde-se perceber, e que de forma alguma consentiria a relação sem o preservativo, sendo assim violação sexual mediante fraude.

    Vítima e autor foram conduzidos para a delegacia de polícia para os procedimentos cabíveis.

    Imagem capa ilustrativa

    Repórter Mari JTI

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.