• Publicado em

    Homem invade batalhão da PM e confessa ser pedófilo

    O homem tentou simular um ataque aos policiais na expectativa de ser baleado e morto, mas o plano não deu certo

    De acordo o site Metrópoles, policiais do Batalhão da PM no Sudoeste em Brasília se surpreenderam nesta sexta-feira (4/8) quando um rapaz de 27 anos chegou à unidade dizendo que não suportava mais ser um pedófilo. O homem, cujo nome não foi divulgado, tentou simular um ataque aos PMs na expectativa de ser baleado e morto, mas o plano não deu certo. “Ele disse que não aguentava mais viver e que queria, pelo menos, ser preso”, contou o capitão Da Silva.

    O militar conseguiu acalmar o rapaz e o levou até a sua casa, na Quadra 6 do Setor Sudoeste. “Quando entrei, fiquei chocado com o que vi”, disse Da Silva ao Metrópoles. De acordo com ele, a quitinete se parecia com um “cativeiro sem reféns”. “Não tinha quase nenhum móvel e estava suja”, completou.

    Nas paredes do imóvel, contou o PM, havia imagens demoníacas e no computador do homem foi encontrado material pornográfico. “Ele falou que desde os 14 anos guarda fotos e vídeos”, explicou. O material estava armazenado em um HD e foi levado com o homem até a 3ª Delegacia de Polícia, no Cruzeiro. “Tenho 12 anos de PM e nunca vi algo parecido na minha vida. Fiquei chocado”, desabafou o policial.

    Na DP, segundo o capitão, o homem – um garçom que há um ano está desempregado – prestou depoimento e teria sido liberado. Contra ele já existe uma ocorrência de lesão corporal, registrada há quatro anos.

    A defesa do homem explicou que ele tem problemas mentais e psiquiátricos. O advogado Thiago de Lima Vaz Vieira negou a existência de material pornográfico no HD. Disse que ainda será feita perícia no material e que só após a instauração de inquérito irá se manifestar.

    A reportagem acionou a Polícia Civil, mas até agora não conseguiu mais informações sobre o caso.



    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.