• Publicado em

    Jovem empreendedora do agronegócio goiano é destaque na Forbes Brasil

    Rio-verdense Nathália Secco está na lista da Forbes Under 30 que apresenta jovens que se destacaram em 2020 no Brasil em suas áreas. Importantes nomes como do atacante da seleção brasileira Richarlisom, a artista Manu Gavassi e o Youtuber Lucas Neto também aparecem.

    Aos 28 anos ela fundou uma aceleradora de startups no ramo do agronegócio e com 1 ano e 3 meses de operação da Orchestra Innovation Center, a CEO foi reconhecida por uma das maiores revistas quando se fala em negócios, inovação e celebridades.  A rio-verdense Nathália Secco está na lista da Forbes Under 30 como uma jovem empreendedora em destaque no Brasil.  A publicação saiu há poucos dias e junto com ela estão outros nomes como da artista Manu Gavassi, Gustavo Mioto, empresários renomados, atletas como Richarlison, jogador da seleção brasileira, Brenner da Silva atacante do São Paulo e o Youtuber Lucas Neto.

    Desde 2014, a lista Forbes Under 30 destaca os mais brilhantes empreendedores, criadores e game-changers brasileiros abaixo dos 30 anos.  Nesta edição, foram selecionados seis nomes (em alguns casos, representados por duplas ou trios) em cada uma das 15 categorias. Eles foram eleitos entre aqueles que se inscreveram (ou foram indicados pelos leitores) na plataforma Under 30 do site da Forbes entre os que foram sugeridos pelos líderes e especialistas das respectivas áreas e entre os nomes pesquisados pelos jornalistas da Forbes.

    A goiana Nathália Secco é destaque na categoria tecnologia e inovação. Ela é pós-graduada em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas e especialista em Liderança Executiva, Tecnologia e Inovação pela Universidade de Stanford, no Vale do Silício.

    “Tenho gratidão à todos os incentivadores, apoiadores, mentores, agricultores, fundos de investimento, agentes de inovação, enfim todas as pessoas que compartilharam conhecimento, e que colaboraram de alguma forma na minha jornada, à construir um ecossistema de inovação, para transformar os meus propósitos e projetos em realidade. Sou reconhecida como uma futurista que revoluciona ecossistema de startups, e o agronegócio. Acabo de completar 30 anos e em pouco tempo, já posso ver os resultados do que venho realizando em inovação no agronegócio brasileiro com reflexo global, e os impactos positivos que isso vem trazendo para o setor e os envolvidos”, disse Nathália Secco.

    Orchestra revoluciona cenários do agro e tecnologias podem reduzir custos em até 200%

    A jovem empreendedora traçou sua trajetória na era da informação, do agronegócio digital. A Orchestra Innovation Center é 1ª Aceleradora de Startups do Agronegócio no Centro-Oeste brasileiro e a 1ª Aceleradora Agtech brasileira com atuação global. O propósito é fomentar a transformação digital no campo para revolucionar o agronegócio e impactar o cenário da produção de alimento no mundo de forma sustentável.

    “Como mulher, sou a pioneira no Brasil à se tornar fundadora e CEO de uma aceleradora de startups do Agro de iniciativa privada. É um grande desafio, ter uma “orchestra” da inovação sob a liderança de uma mulher, pois envolve diversas barreiras culturais, comportamentais, e de infraestrutura, dentro de um ecossistema tradicionalista. Foi nos Estados Unidos, que busquei minha grande inspiração e referência, no Vale do Silício – berço das maiores startups de tecnologia do mundo”, destacou Secco.

    As ações desenvolvidas pela aceleradora já tem feito a diferença no agro e os frutos dos projetos já podem ser vistos.  Desde o início Orchestra conta com parceiros com tecnologias inovadoras.  Recentemente foi lançada a primeira edição do programa Agriculture Challenge, em parceria com a AgTech britânica Hummingbird Technologies. Startups, empresas de agricultura de precisão, agricultores e indústrias estão participando ativamente neste processo para promover práticas que trazem mais eficiência para as aplicações de herbicidas no controle de plantas daninhas na região sudoeste de Goiás e arredores de Mato Grosso.

    Por meio de tecnologias como inteligência artificial, machine learning e visão computacional, são disponibilizados aos produtores sensoriamento remoto em grande escala, mapeamento de culturas e aplicações de herbicidas à taxa variável, ou seja, de acordo com a necessidade e com ajustes corretos de dosagem.

    De acordo com os estudos realizados pela startup britânica em Goiás, o uso destes recursos pode gerar uma economia de até 80% de herbicida, por um custo que varia de R$ 60 a R$ 110 por hectare. Essa variação acontece dependendo do grau de infestação e necessidade individual de cada talhão. Com a ausência total destas ervas daninhas mais resistentes, a longo prazo os custos podem ser até 200% menores, considerando um custo por intervenção de R$ 40 por hectare.

    Em 2019, no primeiro programa, Startup Connection, em parceria com a startup C6Bio, Startup de química orgânica aliada à biotecnologia, os resultados foram acima do esperado. A previsão de faturamento anual da startup foi alcançada em um trimestre. Os produtores que aderiram a biotecnologia puderam ter aumento de 5 à 10% de produtividade, em áreas que já eram de altíssima produtividade e que produzem 80 sacas por hectare.

    Sobre a Forbes Under 30

    As categorias são as seguintes: Arte (artes plásticas e literatura); Artes dramáticas (cinema, teatro e televisão); Ciência e educação; Design, arquitetura e urbanismo; Esportes; Finanças e venture capital; Gastronomia; Indústria (inclui infraestrutura e logística); Marketing e publicidade; Moda; Música; Tecnologia e inovação; Terceiro setor e empreendedorismo social; Varejo e e-commerce; e Web (inclui e-sports).

    Cada candidato é avaliado segundo uma série de critérios e métricas objetivas e subjetivas, como faturamento, criatividade, ineditismo, benefícios sociais reais e projetados, número de pessoas impactadas e potencial de transformação no setor, no mercado, na comunidade, no país e no mundo.

    Wenya Alecrim

    Jornalista

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.