• Publicado em

    Jovem morre após carro ser baleado na GO-080

    De acordo com a polícia, caminhonete emparelhou e ocupantes efetuaram 9 tiros.

    Um jovem de 21 anos foi morto nesta quinta-feira (13) após o carro que ele conduzia ser baleado na GO-080, sentido Goianésia/Barro Alto, próximo a Cagel. A mãe dele, de 42, e duas amigas dela, uma de 37, e outra pessoa não identificada, também estavam no GM Celta e foram feridas pelos disparos. A Polícia Civil acredita que o crime tenha sido motivado por um acerto de contas.

    Segundo informações da Polícia Militar (PM), o jovem, Divino Dalmo Lemos Junior, teria ido buscar sua mãe em uma empresa da região onde aconteceu o homicídio. Ele conduzia um Celta preto com placa de Goianésia e no seu retorno, além da mãe, Divino Dalmo transportava mais três pessoas, sendo um homem no banco da frente e duas mulheres no banco de trás.

    De acordo com o delegado Marco Antônio Maia, responsável pelo caso, uma caminhonete de cor escura se emparelhou ao veículo, os ocupantes começaram a atirar e fugiram em seguida.

    O jovem Divino Dalmo foi atingido no peito e nas costas. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu dentro do carro. No veículo os policiais encontraram pelo menos oito perfurações de bala.

    A mãe de Divino Dalmo, Lucimar de Oliveira Neris Lemos foi atingida nos braços e na perna esquerda, e foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros e conduzida ao Pronto Socorro Municipal Brito Milhomem (PSM) juntamente com Sônia Maria do Carmo e Nelia Helena de Jesus, de 25 anos.

    Segundo o Corpo de Bombeiros, a mãe da vítima e uma das amigas não correm risco de morte. Já Nelia Helena de Jesus foi encaminhada a uma unidade de Anápolis com lesões mais graves.

    A Polícia Militar isolou o local e a Polícia Científica de Goiás, unidade de Ceres, foi acionada para a realização de perícia. A Polícia Civil já investiga o caso e não descarta a hipótese que este crime faz parte de uma guerra do tráfico em Goianésia, uma vez que Divino Dalmo possui passagem por tráfico de drogas. Em junho do ano passado, ele chegou a ser preso pela Polícia Militar com 72 pedras de crack.

    Posteriormente o GENARC realizou diligências em sua residência encontrou R$ 923,00 em dinheiro, nove gramas de cocaína, cinco munições calibre 32, oito munições calibre 38, seis munições calibre 44, um revólver calibre 32, uma espingarda calibre 44, um aparelho celular preto sem chip, uma balança de precisão, um cartão magnético da caixa econômica, um caderno com a contabilidade do tráfico, vários recibos de depósito bancário e dois coldres.

    Adaptações Plantão JTI
    Fonte/ Mais Goiás
    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.