• Publicado em

    Jovem tira a própria vida em Jataí GO após publicar carta de despedida em rede social

    Publicação de Yuri B Oliveira, repercutiu na web e já tem mais de mil compartilhamentos no Facebook

    Um jovem de 20 anos tirou a própria vida momentos depois de publicar uma carta em seu perfil em uma rede social. Yuri Barbosa de Oliveira  cursava engenharia Civil no IFG de Jataí, no Sudoeste Goiano. A publicação, postada na noite de quinta-feira  (28), já possui mais de 1 mil compartilhamentos.

    Na carta, aberta aos usuários do Facebook, Yuri fez um desabafo que segue repercutindo desde o momento em que foi publicado. “ Sempre acreditei ao ter notícias de universitários que cometeram suicídio, que a faculdade foi um grande fator agravante, e no meu caso isso é fato, ficar num ambiente em que eu só me sentia incapaz, um ambiente sem a mínima acessibilidade para quem tem dificuldade e não vive apenas para os estudos, um espaço elitizado, cheio de estudantes idiotas e sem o mínimo de empatia ou tato para as relações interpessoais, cheio de professores carrascos de ego inflado, repleto de assediadores, onde a maioria dos coordenadores e gestores pouco se preocupam com os estudantes/terceirizados/servidores mais vulneráveis em contrapartida, quero agradecer a todos colegas e amigos que pude conhecer ou me aproximar durante a faculdade vocês são incríveis! Agradecer também a atlética e as festas universitárias por em muitos momentos terem sido uma válvula de escape pra tanta insanidade no ambiente acadêmico” escreveu em trecho de uma longa carta de despedia que pode ser conferida na integra no final da matéria.

    Ainda nas redes sociais, a comoção foi bastante forte entre amigos próximos e pessoas que o conheciam.

    Prevenção do suicídio: sinais para saber e agir

    Entendendo o suicídio – Saber, agir e prevenir.

    O suicídio é um fenômeno complexo, multifacetado e de múltiplas determinações, que pode afetar indivíduos de diferentes origens, classes sociais, idades, orientações sexuais e identidades de gênero. Mas o suicídio pode ser prevenido! Saber reconhecer os sinais de alerta em si mesmo ou em alguém próximo a você pode ser o primeiro e mais importante passo. Por isso, fique atento(a) se a pessoa demonstra comportamento suicida e procure ajudá-la.

    Falar sem promover

    Para a psicóloga Karen Scavacini, coordenadora do Instituto Vita Alere de Prevenção e Posvenção do Suicídio, não falar sobre suicídio pode ter um efeito tão devastador quanto falar de maneira inadequada.

    “Quanto maior o silêncio e segredo em torno de um assunto tabu, pior para quem lida com ele. Poder falar e contar a história pode ter um efeito curativo em quem lê e em quem escreve”, defende Karen.

    Autora de Mentes Depressivas – As Três Dimensões da Doença do Século (editora Globo), a psiquiatra Ana Beatriz Silva menciona a onda de suicídios atribuída ao lançamento do livro Os Sofrimentos do Jovem Werther, obra de Goethe de 1774 em que o protagonista se mata após um amor não correspondido.

    Como reação, o livro foi recolhido e proibiu-se a discussão sobre o suicídio por acreditar que seria algo que incitasse a prática.

    “Estima-se que 90% dos suicídios poderiam ser prevenidos. Isso faz pensar que esse preconceito histórico em falar sobre suicídio não ajudou a prevenir essas mortes”, diz Silva, citando estimativa da Organização Mundial de Saúde (OMS).

    Silva avalia que os padrões da mídia ao relatar casos de suicídio também não contribuem para resolver esse problema social.

    “Só falamos em suicídio quando um famoso se mata. Não se pode glamorizar um suicídio, transformar o suicida em herói. Um suicídio é um ato de desespero”, diz ela, para quem relatar a trajetória de sofrimento da pessoa é mais relevante do que informar, por exemplo, métodos empregados no ato.

    Para Scavacini, do Instituto Vita Alere, apresentar alternativas e divulgar locais ou formas de se obter ajuda é outro meio de falar de suicídio com maior atenção à prevenção.

    “Se o relato indica ao final onde a pessoa pode receber ajuda, isso se transforma numa rede de cuidado. Muitas pessoas estão tão perdidas e impactadas que mesmo uma sugestão de caminho a seguir faz grande diferença”, orienta.

    O ministério da Saúde disponibiliza uma pagina onde trata o assunto com informações dicas importantes para saber agir e prevenir o suicídio clique aqui e confira. 

    Veja abaixo o Post publicado pelo Yuri;

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.