• Publicado em

    Lembra do pastor estuprador da ‘maldição do sexo’ em Goiás? Crime dele é ainda maior

    Pelo menos três outras mulheres foram estupradas no ritual da 'maldição do sexo'.

    Um caso de estupro envolvendo um pastor evangélico acabou repercutindo em todo o Brasil. Uma menina de 16 anos teria sido abusada durante o ‘Sacrifício de Abraão’,também conhecido como a “#Maldição do sexo”. O caso aconteceu em Edeia, em Goiás. O pastor e sua mulher participavam do crime.Aos poucos, mais detalhes do horror são desvendados e a polícia descobre que tudo ainda era muito pior. Pelo menos três outras pessoas revelam que também foram vítimas da “maldição do sexo”.

    Maldição do sexo fazia pastor estuprar fiéis: ‘Dizia que Deus mandava’

    Em entrevista à TV Globo, uma das jovens abusadas falou sobre tudo o que ocorreu.

    Ela contou que o homem dizia que, caso ela não passasse pelo”Sacrifício de Abraão”, a família dela seria vítima de uma grande praga. A mãe dela iria morrer e o irmão ficaria em uma cadeira de rodas. A suposta maldição é inspirada em uma leitura da bíblia, quando Abraão, a fim de provar sua fé em Deus, é estimulado a matar o próprio filho. Deus, no entanto, não chega a permitir que Abraão realmente mate seu herdeiro. O pastor alegava que Deus mandava ele fazer tais atos em visões extraordinárias.

    Vítima era obrigada a rezar ajoelhada, antes de sofrer novo estupro

    O pastor contou para a vítima que eram necessárias sessões espirituais e que, no caso da “maldição do sexo”, apenas o sexo com um homem que leva a palavra de Deus seria capaz de retirar o suposto espírito que infernizava a vida da garota.

    “Eu sentia pavor”, disse a vítima que, ao longo de dois anos, foi estuprada vinte vezes pelo pastor. A mulher dele colaborava e ficava do lado de fora, a fim de ver se alguém não apareceria. Ambos negam as acusações, mas estão presos.

    O primeiro estupro aconteceu quando a garotinha tinha apenas 13 anos. O #Pastor estuprador argumentava que a família da menina tinha uma espécie de “maldição hereditária” e que apenas realizando práticas sexuais seria possível quebrar a tal maldição bizarra. A maldição começou, segundo o pastor, pois muitas mulheres da família da vítima foram prostitutas no passado.

    Sacrifício para tirar maldição era tirar sua virgindade

    “Ele disse com todas as palavras que o sacrifício seria a minha virgindade. Que eu teria que me deitar com ele, disse a garota. A mãe da menina conta que não sabia do crime, mas que deixou a igreja pouco antes, pois o pastor teria aparecido com a mesma história. No entanto, ela deixava a garota frequentar o ambiente.



    Fonte/É Manchete Blasting News
    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.