• Publicado em

    Macabro: menino é encontrado morto dentro de freezer

    Uma vizinha relata que recebeu mensagens da mãe da vítima afirmando que ela pensava em mandar o filho de volta à África.

    Um menino, de oito anos, foi encontrado morto dentro de uma geladeira em um apartamento no centro de São Paulo, por volta das 18h30 da última sexta-feira (4).

    A Polícia Militar afirma que o imóvel, localizado na rua Santo Amaro, na República, estava vazio quando o corpo foi localizado. Ainda de acordo com a corporação, a criança estava enrolada em um saco.

    O corpo foi levado para o IML (Instituto Médico Legal) na madrugada deste sábado (5). A PM acrescenta que os pais da vítima ainda não foram localizados até a manhã de hoje.

    Mias detalhes deste caso:

    A professora do menino, de oito anos, encontrado morto dentro de uma geladeira em um apartamento, por volta das 18h30, da última sexta-feira (4), no centro de São Paulo, afirma que ele sofria agressões físicas.

    De acordo com vizinhos, a vítima se chama Asca e seria filho dos africanos Lia e Lino. O casal possui outras duas filhas pequenas e tinham um comércio no térreo do condomínio onde moram, na República.

    De<br />
acordo com vizinhos, a vítima se chama Asca e seria filho dos africanos Lia e<br />
Lino. O casal possui outras duas filhas pequenas e tinham um comércio no térreo<br />
do condomínio onde moram, na República

    Os moradores afirmam que ambos eram educados e carinhosos com a vítima. Uma vizinha relata que recebeu mensagens da mãe da vítima afirmando que ela pensava em mandar o filho de volta à África.

    A professora da vítima, Maria Lúcia Gardel Ramos, afirma que o garoto sofria agressões físicas.

    — Ele mostrou marcas nas costas dele. Ele tinha tanta marca que não tinha onde bater mais.

    Ainda de acordo com a professora, o menino ficou um mês em um abrigo após a escola denunciar as agressões físicas. A Polícia Militar afirma que o imóvel, localizado na rua Santo Amaro, na República, estava vazio quando o corpo foi localizado. Ainda de acordo com a corporação, a criança estava enrolada em um saco. Segundo moradores, o casal deixou o local no início da semana.

    Ainda<br />
de acordo com a professora, o menino ficou um mês em um abrigo após a escola<br />
denunciar as agressões físicas. A<br />
Polícia Militar afirma que o imóvel, localizado na rua Santo Amaro, na<br />
República, estava vazio quando o corpo foi localizado. Ainda de acordo com a<br />
corporação, a criança estava enrolada em um saco. Segundo moradores, o casal deixou o local no início da semana

    Uma vizinha conta que não tinha desconfiança dos pais de Asca.

    — Saíam todo domingo, iam ao shopping. Inclusive ele levava o meu menino. O corpo foi levado para o IML (Instituto Médico Legal) na madrugada deste sábado (5).

    Moradores protestaram contra o casal com frases coladas na porta do comércio do casal. A PM acrescenta que os pais da vítima ainda não foram localizados até a manhã de hoje.

    Moradores protestaram contra o casal com frases coladas na<br />
porta do comércio do casal. A PM acrescenta que os pais da vítima ainda não foram localizados até a manhã de hoje

     

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.