• Publicado em

    Maria UPP sai em defesa de PMs presos por fotos eróticas: “Muito injusto”

    Quatro PMs ficarão presos por 30 dias após imagens polêmicas terem ganhado as redes

    Patrícia Alves, jovem de 26 anos que ficou conhecida como Maria UPP após ser fotografada e filmada em cenas de sexo com policiais militares do Rio de Janeiro, saiu em defesa dos quatro PMs que foram identificados pela corporação nas imagens e punidos com prisão administrativa de 30 dias. Eles já cumprem o período de detenção em seus respectivos batalhões.

    — Acho isso muito injusto. Eles estão sendo presos por uma coisa que eu não vejo nada de mais

    Veja  à entrevista: Maria UPP sonha em ser atriz e diz que é musa dos policiais: “Me orgulho muito”

    Patrícia diz agora que não manteve relações sexuais com os PMs nas unidades militares.

    — Não era dentro do local de trabalho, era fora

    A afirmação de Patrícia está em linha com o que diz a defesa dos agentes. O advogado Sandro Figueiredo, que defende dois dos quatro PMs punidos, diz que as cenas que se alastraram na internet não são reais, mas montagens.

    O advogado admite que os policiais estão realmente nas fotos e vídeos, mas que o material não foi registrado dentro em batalhões policiais. Os PMs ainda podem recorrer da decisão.

    — Na verdade, essas fotos que foram divulgadas, essas filmagens… Se iniciou como uma brincadeira de grupo de WhatsApp, onde começou a ocorrer vários tipos de montagens. Essa foto foi tirada sim, mas em lugar totalmente desconecto de qualquer organização militar. Foi tirada num horário de folga dos policiais, num momento de descontração

    Patrícia diz que recebe ajuda financeira de alguns policiais militares. Mulheres de PMs já fizeram ameaças públicas contra ela ao que ela rebate:— Não devo nada a elas. Eu sou livre e eles [policiais] que me procuramA jovem, que fez seis filmes adultos após as cenas com os PMs se espalharem em redes sociais, diz que agora sonha em seguir a carreira de atriz. Ela admite que ganhou fama, mas que a curta carreira ainda não rendeu muito dinheiro.

    — Eu sou a Patty UPP, eu sou a musa dos policiais e me orgulho muito de ser amiga dos polícia (sic)

    Patrícia diz que recebe ajuda financeira de alguns policiais militares. Mulheres de PMs já fizeram ameaças públicas contra ela ao que ela rebate:

    — Não devo nada a elas. Eu sou livre e eles [policiais] que me procuram

    Além de sair em defesa dos quatro PMs punidos, Patrícia ainda reclamou do atraso da segunda parcela do 13º salário dos PMs.

    — Em vez de eles ficarem preocupados em estar prendendo os policiais, eles deviam se preocupar mais em pagar os policiais

    Maria UPP presta depoimento na DPJMEm maio do ano passado, Patrícia prestou depoimento sobre as orgias com os policiais na 1ª DPMJ (Delegacia de Polícia Militar Judiciária), no Méier, zona norte do Rio.
    Depois que o caso veio à público, Patrícia disse não se arrepender de nada.Ela afirmou, em entrevista à Rede Record, que já saiu com mais de mil PMs.

    Perguntada sobre o motivo, a pernambucana foi sucinta.

    — Fiz porque gosto de sair com os polícia (sic). Já saí com mais de mil
    Ela ganho o apelido após tatuar a inscrição UPP na virilha/ Fonte/ R7

    Patrícia diz agora que não manteve relações sexuais com os PMs nas unidades militares.— Não era dentro do local de trabalho, era fora
    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.