• Publicado em

    Menino deficiente que foi filmado comendo ração passa a morar com pai, por acordo feito pelo Conselho Tutelar, em Goiás

    Vídeo, feito no dia 2, mostra o menino debruçado sobre a vasilha de comida do cachorro. A tia-avó filma a ação enquanto a mãe, ao fundo, também ri.

    Segundo o site de notícias Independente, o menino de 2 anos que tem deficiência e foi filmado comendo ração de cachorro na casa da mãe em Trindade, na Região Metropolitana de Goiânia, Goiás, está morando com o pai. A mudança de lar foi um acordo feito com o Conselho Tutelar da cidade, que emitiu relatório após visitas, até que a situação seja esclarecida. A Polícia Civil e o Ministério Público também acompanham o caso e já ouviram os envolvidos.

    Vídeo, feito no dia 2, mostra o menino debruçado sobre a vasilha de comida do cachorro. A tia-avó filma a ação enquanto a mãe, ao fundo, também ri. A gravação foi enviada para alguns familiares. Os pais e a tia-avó consideram que o caso foi uma “brincadeira”. A avó paterna, que denunciou o caso à polícia, diz se sentir revoltada com a situação.

    Os pais da criança tiveram um relacionamento por dois anos. Entretanto, se separaram há três meses. “Fizemos visitas à residência e após um acordo com os pais e com o Ministério Público, ficou decidido que, por enquanto, a criança vai ficar com o pai até que seja avaliada melhor a situação e a criança possa voltar para a mãe, se assim for decidido”, disse a presidente do Conselho Tutelar de Trindade, Kátia Francisca dos Santos.

    A promotora Alessandra Aparecida de Melo Silva, que acompanha o caso, informou, por meio da assessoria de imprensa do MP, que já ouviu os pais do menino. “O próximo passo será pedir a medida protetiva de acompanhamento psicológico da família visando a posterior reinserção da criança”, diz uma nota.

    A Polícia Civil também está investigando o caso. O delegado responsável pelo caso, Vicente Gravina, disse que a mãe e tia-avó podem responder por constrangimento de crianças e adolescentes e até por maus-tratos.

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.