• Publicado em

    Morte de ‘Barbie do Tráfico’ foi encomendada por cunhado de líder de facção

    Segundo o delegado Marcelo Martins, Fernanda Caroline Chaves Pinho fazia parte do Comando Vermelho e vendia entorpecentes em uma área da FDN.

    O assassinato da garota de programa Fernanda Caroline Chaves Pinho, que era conhecida como “Barbie do Tráfico”, 25, foi encomendado pelo traficante Marcelo Frederico Laborda Júnior, o “Marcelinho do Centro”, que é cunhado do narcotraficante José Roberto Fernandes Barbosa, o “Zé Roberto da Compensa”, um dos fundadores da facção criminosa Família do Norte (FDN).

    Segundo o site A Critica, a informação foi divulgada pelo delegado Marcelo Martins, titular do 24° Distrito Integrado de Polícia (DIP), durante a apresentação de Matheus Rogério Machado Castro, 21, apontado como autor do homicídio, nesta quarta-feira (25) na sede do distrito, localizado na avenida Lourenço da Silva Braga (Antiga Manaus Moderna), esquina com a rua Lima Bacuri, no Centro, bairro onde ocorreu o crime na madrugada de terça-feira (24), na Rua Lobo D’Almada.

    Lei também: Aprenda a obter renda extra nos 365 dias do ano usando apenas o seu celular

    Ainda segundo o delegado, a Barbie do Tráfico fazia parte da facção criminosa Comando Vermelho (CV) e atuava com o tráfico de entorpecentes em uma área dominada pela FDN. A Barbie estaria entregando os membros da FDN para a facção rival. Por conta disso, Marcelinho, temendo o crescimento do CV no Centro, mandou executá-la.

    Marcelinho foi preso junto com a sua esposa, Maria Cléia Fernandes Barbosa, irmã de Zé Roberto da Compensa, em julho deste ano em Santa Catarina, mas ainda comanda a área do Centro. Além dos dois também foram presos no mesmo imóvel Andreza Rodrigues Lobo, Rômulo Raphael dos Santos Morais, Leandro dos Santos Chaves, José Rodrigues Lobo, Marlisson Multimo Prata e Joelson, conhecido como “BB da Compensa”. Todos eram foragidos da Justiça do Amazonas.

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.