• Publicado em

    Morte de cantor Leandro completa 20 anos, e fãs relembram sucessos e histórias de sua carreira

    Não aprendi dizer adeus. Mas tenho que aceitar que amores; vem e vão, são aves de verão. Se tens que me deixar. Que seja então feliz....

    Há 20 anos, no dia 23 de junho, o cantor Leandro, que formava dupla com o irmão Leonardo, morreu vítima de um câncer raro e agressivo, aos 36 anos. A dupla de Goianópolis (GO) estourou em 1989 com o sucesso “Entre Tapas e Beijos”. Leonardo seguiu carreira solo e, até hoje, sofre com a ausência do irmão. Nesta época do ano, costuma se isolar em sua fazenda. Já Carmen Divina Costa, mãe dos cantores, oferece todo ano uma missa em homenagem ao filho, no Santuário Basílica do Divino Pai Eterno, em Trindade (GO).

    Não é só a família que lembra de Leandro com saudade. A dona de casa Vilma Cardoso Camargo, 68 anos, lembra bem da morte do sertanejo. “Eu gostava muito dos dois, acompanhava tudo, ia aos shows. Coincidiu que, quando ele ficou doente, eu também estava enfrentando um câncer. Ouvir o Leonardo falar e cantar me dava forças para continuar o meu tratamento”, diz Vilma. Após a morte de Leandro, ela continuou indo aos shows de Leonardo. “Sempre conversava com ele no camarim. Ele chorava e me abraçava com saudade do irmão.”

    Além do sonho de ser cantor, Leandro queria também entrar para a política. “Ele falava muito que queria cantar até os 50 anos e que, depois, pararia e se candidataria a senador pelo estado de Goiás”, como recorda o também horticultor Jair de Sousa Leite.

    Para se dedicar à carreira, os irmãos se mudaram para Goiânia, conseguiram trabalhos para se sustentar na capital enquanto passavam todo o tempo livre nos ensaios.

    Apesar da timidez, depois que subia no palco, Leandro encatava. Os artistas afirmam que o cantor era dono de uma das mais belas segundas vozes da música brasileira. Outros “segundeiros” contam que se inspiram até hoje no jeito dele de cantar.

    O sertanejo chamava a atenção nas apresentações e até cantava algumas canções sozinho.

    No dia 23 de junho de 1998, quando os brasileiros se preparavam para assistir à seleção brasileira enfrentar a Noruega, pela Copa do Mundo, na França, foi divulgada a notícia da morte do cantor. O Brasil parou para acompanhar o despedida do ídolo, que, após uma semana internado, não resistiu ao tumor.

    *Folha UOL

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.