• Publicado em

    MP aciona Câmara de Vereadores de Rio Verde

    A ação tem como objetivo o fim de contrato com escritório de advocacia e demissão de comissionados

    De acordo informações da Assessoria de Comunicação Social do MP-GO, a promotora de Justiça Renata Dantas de Morais e Macedo propôs ação civil pública contra a Câmara Municipal de Rio Verde, em razão de irregularidades no seu quadro funcional, uma vez que, embora o cargo de procurador jurídico tenha sido provido, a Casa mantém um contrato com escritório de advocacia e preserva servidores comissionados no cargo de procurador adjunto.

    Leia também: PC desvenda homicídio onde filho foi morto na frente da mãe, em Rio Verde 

    A promotora, portanto, requereu que o presidente da Câmara, Lucivaldo Medeiros, exonere imediatamente o atual procurador adjunto, bem como não nomeie outros servidores para esse cargo até o julgamento do processo. Na ação, foi pedida ainda a suspensão do contrato e de termo aditivo firmados entre a Câmara e o escritório de advocacia Colemar Moura Sociedade de Advogados e outras contratações dessa espécie.

    No mérito, além da confirmação dos pedidos liminares, Renata Dantas aguarda o reconhecimento da inconstitucionalidade da norma municipal, na parte que cria dois cargos de procurador adjuntos, como cargo de provimento em comissão, com a consequente exoneração dos servidores eventualmente ocupantes dessas funções, e também o julgamento da ilegalidade do contrato questionado. (Cristiani Honório)

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.