• Publicado em

    Mulher diz ter sido abusada por João de Deus na presença do pai

    Relato foi apresentado durante o programa 'Fantástico' deste domingo (16)

    O programa ‘Fantástico’, da TV Globo, apresentou neste domingo (16) o relato de Camila Correia Ribeiro, que diz ter sido abusada pelo médium João de Deus na presença do pai quando tinha apenas 16 anos. Até o momento, mais de 300 mulheres procuraram o Ministério Público para denunciar o médium, que está preso desde domingo (16) no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital.

    Na entrevista, a jovem diz que foi se consultar com João de Deus na Casa Dom Inácio de Loyola, localizada em Abadiânia, em 2008. O médium disse durante o atendimento espiritual que seu caso era grave e pediu que ela fosse até seu consultório.

    O pai Augustinho Ribeiro acompanhou a então adolescente dentro da sala, mas João pediu para que ele se virasse. “Pai, fica de costas e faz suas orações”, teria dito o médium, segundo Camila.

    Leia também: Homem é salvo após se afogar e ficar 25 minutos sem sinais vitais

    Ele passou a mão em mim, a mão no peito, na minha vagina, no meu bumbum”, relatou.

    A denunciante disse que começou a chorar após o assédio e o médium pediu para que ela ficasse calma. “Faz parte do tratamento”, teria dito o líder religioso.

    “Pegou minha mão e colocou nele. Vi que tinha alguma coisa errada. Colocou a mão no pênis dele, no órgão”, relatou Camila.

    Durante todo o tempo, o pai permaneceu logo atrás, de olhos fechados, orando. Augustinho afirma que pensava que o choro seria por conta da oração.

    Camila diz ainda que procurou a Justiça na época e que chegou a registrar um boletim de ocorrência. Cinco anos depois, em 2013, João de Deus foi julgado como inocente neste caso. A juíza Rosângela Rodrigues Santos, de Abadiânia, justificou a decisão alegando que ela e o pai poderiam ter reagido.

    “Eu gritei por Justiça lá trás e não me ouviram, mas agora podem ouvir”, concluiu Camila.

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.