• Publicado em

    Mulher é presa em Goiás, junto com marido, suspeita de matar irmã adotiva de 11 anos em Alagoas

    Segundo Polícia Civil, casal matou Maria Eduarda Marques da Silva em 2013 com interesse na herança do pai; eles devem ser transferidos para Maceió. Rosineide Rosa Xavier Lemos e Marcos Roberto Paulino Lemos, presos em Aparecida de Goiânia.

    A vendedora Rosineide Rosa Xavier Lemos e o companheiro dela, Marcos Roberto Paulino Lemos, foram presos, nesta sexta-feira (21), em Aparecida de Goiânia, suspeitos de matar, Maria Eduarda Marques da Silva, de 11 anos, irmã adotiva de Rosinede. De acordo com a Polícia Civil, o crime ocorreu em 2013, em Alagoas, motivado por interesse em herança.

    Em entrevista ao G1, Berenaldo de Souza Lessa Júnior, do Grupo de Investigação da Delegacia-Geral (GIDG) de Alagoas, disse que Rosineide e Marcos haviam sido presos na época do fato, mas foram colocados em liberdade após vencimento do mandado de prisão temporária. Após o laudo que indicou sangue no carro do homem ter sido concluído, os dois já não haviam sido mais localizados no estado.

    “A partir de então, nós começamos a apurar onde que o casal estaria. Nós conseguimos apurar que, em 2014, os dois se mudaram para Aparecida de Goiânia, fugiram para cá, e estabeleceram vida por aqui. Ele trabalhando como lanterneiro e ela em um supermercado, como vendedora. Com a ajuda da inteligência da Polícia Civil de Goiás conseguimos confirmar o endereço dos dois, culminando na prisão”, disse.

    Rosineide e Marcos foram presos nesta sexta-feira, na casa em que estavam morando há 4 anos, em Aparecida de Goiânia. O crime ocorreu no dia 11 de dezembro de 2013, em Dois Riachos, no sertão de Alagoas. De acordo com a polícia, Maria Eduarda foi encontrada morta com vários golpes de faca na casa onde morava com os pais, na Avenida Frei Damião.

    Conforme Berenaldo, o crime pode ter sido motivado por interesse na herança do pai adotivo da vítima e da suposta autora.

    “O pai da acusada criou ela e a vítima, que era bem mais nova que ela. Ao que parece, até então, é que ela e o marido planejaram matar a criança pois, com ela morta, os dois seriam os herdeiros únicos dos pais, que, pelo apurado, eram donos de um supermercado na cidade”, contou ao G1.

    De acordo com o GIDG, os dois devem responder por homicídio duplamente qualificado. Eles devem ser transferidos para Alagoas nesta sexta-feira.

    Fonte/Ultra Dicas

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.