• Publicado em

    Mulher que foi pivô da morte de cantor é presa

    Elize disse que se relacionou com Thiago e Dan ao mesmo tempo. Ela chegou a dizer ao assassino que ele era sexualmente inferior ao cantor.

    Apontada como pivô de uma briga que terminou em morte em Santos, no litoral de São Paulo, Elyse Chiceri foi presa nesta quarta-feira (26). Ela é ex-mulher de Thiago Batista de Barros, condenado por matar o cantor Dan Nunes em 2015. Mesmo sem ter envolvimento direto, Elyse foi classificada como “partícipe do crime”.

    A Justiça entende que Elyse deveria ser presa por não comparecer ao julgamento de Thiago, por ter um celular com provas de que participou do crime e por suas declarações, que segundo o mandado de prisão “causaram séria perturbação, trazendo reforço à sensação pública de que se vive em uma sociedade impune e eticamente apodrecida em seus valores morais como: família, fidelidade, liberdade e responsabilidade”, segundo o G1.

    O partícipe, que vem de participação, é alguém que auxilia, instiga ou induz outro a realizar a execução do crime, mesmo que não pratique efetivamente a conduta.

    Elyse afirmou durante a investigação que se relacionava com Thiago e Dan ao mesmo tempo. Ela chegou a dizer ao assassino que ele era sexualmente inferior ao cantor. Ela contou também que causava ciúmes nos dois de maneira proposital e fazia comparações entre eles.

    Thiago foi condenado a 18 anos de prisão em regime fechado. Ele matou Dan com um tiro nas costas depois de um show.

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.