• Publicado em

    Mulher se nega a fazer sexo grupal com namorado e morre brutalmente

    Ele chegou a ser liberado pela Justiça, mas o delegado entrou com pedido de prisão preventiva
    Vítima: Natália Fernandes, de 20 anos

    Vítima: Natália Fernandes, de 20 anos

    O Cidade Alerta da última terça-feira (5) exibiu uma reportagem de um crime que ocorreu em julho de 2014 e chocou pela brutalidade.

    Natália Fernandes, de 20 anos, foi encontrada morta na casa do namorado, no Parque São Lucas, zona leste de São Paulo (SP). Na época do crime, Fagner Maia confessou que queria envolver uma terceira pessoa no relacionamento íntimo do casal e, por não aceitar, a moça acabou morta.

    O advogado de defesa entrou com habeas corpus, mas teve o pedido negado. Ele chegou a ser liberado, mas a Justiça decidiu que ele vai ficar preso.

    A irmã de Natália ligou no celular dela e no do namorado, o montador de móveis Fagner Jesus Maia, de 27 anos, mas não conseguiu falar com nenhum dos dois.

    A polícia recebeu uma ligação anônima.

    Do outro lado da linha, o denunciante dizia que havia uma mulher assassinada dentro da casa de Maia.

    Os policiais foram ao local e encontraram a jovem morta com um tiro na nuca em cima da cama.

    o549e6460_497hoijya8_file

    De acordo com a proprietária, que alugava o imóvel a Maia, ele sumiu sem levar nada da casa.

    Acusado: Fagner Jesus Maia, de 27 anos

    Acusado: Fagner Jesus Maia, de 27 anos

    Na época do crime, o assassino chegou a mudar o visual para não ser reconhecido nas ruas.

    Segundo o criminoso, os dois voltavam de uma festa e iniciaram uma discussão. Sabe o motivo? Sexo!

    Isso mesmo. Fagner resolveu se revelar para a namorada e confessou gostar de fazer orgia e gostaria que a moça entrasse no clima com o grupo de sexo.

    Ao negar o pedido, Natália foi assassinada brutalmente com um tiro na nuca.  O criminoso chegou a ser liberado pela Justiça, mas o delegado do caso pediu a prisão preventiva do rapaz que deve ser preso nos próximos dias.

    Assista a matéria:

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.