• Publicado em

    “Não fizemos sexo na pirâmide”, diz fotógrafo que escandalizou o Egito

    O fotógrafo dinamarquês, Andreas Hvid, 23 anos, que provocou a ira do povo do Egito, após compartilhar nas redes sociais o que seria um vídeo íntimo, onde aparece nu no topo da pirâmide de Quéops revelou durante entrevista que não se arrepende do que fez e rebateu criticas.

    “Fico triste ao ver que tantas pessoas ficaram tão irritadas. Mas também recebi respostas positivas de muitos egípcios … Eu provoquei muita gente, mas também posso ter servido para abrir espaço para os egípcios liberais”, diz ele na entrevista.

    O vídeo gravado na pirâmide tem três minutos de duração e ficou público no dia 5 de dezembro, onde mostra uma mulher tirando a roupa e o fotógrafo ao lado em uma pose sexual sobre a luz do amanhecer.

    Na entrevista, o rapaz desmentiu que se tratava de sexo: “Era uma pose para a foto. Nós não fizemos sexo”. relatou.

    Ao jornal dinamarquês, Hvid parece estar ciente das consequências legais da ação no monumento considerado templo para os egípcios.

    “No futuro, não voltarei a pôr os pés no Egito, pois provavelmente correria o risco de ser condenado. O projeto de escalar a pirâmide é o que me fez ir lá, então sinto que já vi tudo que me interessava no Egito”, diz o fotógrafo, que planeja continuar sua arriscada e controversa atividade artística.

    O fotógrafo se especializou em rooftopping, que consiste em escalar edifícios ou construções de grande altitude, como arranha-céus e antenas, bem como crateras. O jovem, que já subiu em arranha-céus em Bangkok, Hong Kong e no Leste Europeu, é costumado a fazer registros de pessoas nuas.

    (Com informações do site MsN Notícias)

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.