• Publicado em

    Neandertal baleado é possível evidência de viajantes no tempo. Entenda:

    O crânio baleado pertenceu ao ‘Homem de Broken Hill’ , e hoje encontra-se em exposição no Museu Britânico de História Natural em Londres

    O homem-de-neandertal viveu há mais de 50 mil anos, antes da chegada dos homens modernos nas regiões europeias. Suas principais ferramentas e utensílios eram feitos a partir de fragmentos de ossos.

    Levando tudo isso em consideração, não é difícil de se surpreender com o crânio de um Neandertal que está sob custódia do Museu Britânico de História Natural em Londres e que tem uma marca de bala de cerca de 8 mm de diâmetro no lado esquerdo. Publicações dizem que o crânio tem 38 mil anos, e foi encontrado em 1921 em Kabwe, na África. O crânio também é conhecido como do Homem de Broken Hill.

    O mais interessante nesta história do buraco no crânio do Neandertal é que ele não traz nenhuma evidência de divisões radiais, que seriam aparentes no caso de o ataque ter sido feito por lanças e outros projéteis frios. Já o lado direito do crânio traz marcas, o que levanta a suspeita de que o crânio tenha sido explodido de dentro pra fora. Isso levanta três suspeitas: ou esse crânio não é tão antigo, ou existiam rifles na era Paleolítica africana (o que está fora de cogitação e portanto a necessidade de ele ter viajado no tempo para levar um tiro desses), ou então o buraco foi causado por uma infecção do tecido mole, causando uma úlcera ou abscesso que se tornou séptico.

    Rhodesian_Man2

    Como tudo isso aconteceu há muitos anos, fica difícil falar com certeza qual foi o destino africano. Porém, vamos combinar entre nós: é muito mais divertido dizer que foi um viajante do tempo que atirou no Neandertal, não é mesmo?!

    Adaptações Plantão JTI
    Fonte: Mundopocket

    LISTA TELEFONIA A NOVA NOVIDADE DO SITE

    CONHEÇA A LISTA TELEFÔNICA DO NOSSO SITE CLIQUE AQUI

    CONHEÇA A LISTA TELEFÔNICA DO NOSSO SITE CLIQUE AQUI

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.