• Publicado em

    Operação Boi Legal apreende carne clandestina e açougueiro é preso

    As carnes impróprias para consumo foram apreendidas e descartadas no aterro sanitário da cidade.

    A Polícia Civil e Agrodefesa de Goiás dando continuidade às ações de combate ao furto de gado e a venda de carne clandestina desencadearam na ultima semana a segunda etapa da Operação Boi Legal na cidade de Caiapônia. Foram visitados vários estabelecimentos comerciais de compra e venda de carne, dentre frigoríficos, supermercados e açougues.

    Na oportunidade foram encontradas dezenas de quilos de carne com características de abate clandestino, com presença de fezes, urina, capim e terra, além de estarem mal acondicionadas, com temperaturas próximas a 40 graus, muitas em elevado estado de putrefação, segundo informou o delegado Marlon Souza Luz.

    As carnes impróprias para consumo foram apreendidas e descartadas no aterro sanitário da cidade, ao mesmo tempo em que foi realizada a prisão em flagrante do proprietário de um dos açougues, por crime contra as relações de consumo (venda de alimento impróprio para consumo).

    O proprietário de um famoso supermercado da cidade foi procurado para ser preso em flagrante, porém não foi encontrado, devendo ser instaurado inquérito policial pelo mesmo crime.

    As operações serão realizadas rotineiramente no município, pois têm resultado na diminuição do índices de furto de gado em toda a região, trazendo assim tranqüilidade aos produtores rurais, além de garantir a saúde da população, diante do risco de contaminação e morte no consumo de carne clandestina, sem qualquer controle sanitário.

    Participaram da operação os agentes: Thiago, Euler; escrivã Eliane e o delegado Marlon; e os fiscais da Agrodefesa Carlos Antônio, Júlio e Fábio; e os veterinários: Bruno e Tathiane Vilela. (Fonte/araguaianoticia)

    Assista a matéria;

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.