• Publicado em

    Operação Café com Leite recupera carga e prende três pessoas

    Cerca de 2,5 toneladas seriam levadas para Inaciolândia e o restante para Goiânia, junto com uma carga de leite avaliada em R$ 120 mil, roubada em Rio Verde

    A Polícia Civil, por meio da Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas (Decar), apreendeu na noite de quinta-feira, dia 15, uma carga roubada de sete toneladas café. O produto é fruto de crime registrado em fevereiro deste ano, na BR-040, em Paracatu, em Minas Gerais. Na época, o motorista do caminhão foi encontrado amarrado em um lixão de Itumbiara.

    Três pessoas foram presas na operação, denominada Café com Leite. Elas são suspeitas de fazerem parte de uma associação criminosa especializada em receptação e comercialização de cargas roubadas. Entre os suspeitos, estão um policial civil e um vereador de Davinópolis. Os nomes dos suspeitos ainda não foram divulgados pelo fato de a polícia ainda procurar um quarto integrante do grupo. A carga foi encontrada em um galpão alugado em Catalão.

    Segundo o delegado Alex Vasconcellos, da Decar, o produto já estava negociado. “Cerca de 2,5 toneladas seriam levadas para Inaciolândia e o restante para Goiânia, junto com uma carga de leite avaliada em R$ 120 mil, roubada em Rio Verde”, explica.

    Também foram apreendidas uma arma de fogo, munições de diversos calibres, uma carreta e uma retroescavadeira. A polícia também encontrou um veículo e cerca de R$ 4 mil em espécie. “Acreditamos que o grupo receptava a carga e revendia para diversas regiões do Estado”, detalha o delegado.

    A ação contou com apoio da Polícia Rodoviária Federal e do Grupo Tático 3 (GT-3). A Corregedoria da Polícia Civil acompanha a investigação envolvendo o policial detido. Todos os procedimentos correcionais para apuração já foram instaurados para devida responsabilização do investigado.

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.