• Publicado em

    Opinião: A inocência dos ´´testes´

    Época boa aquela em que você ficava torcendo para aquele caderno cair nas suas mãos se rolasse algo ótimo, se não você pelo menos teria como saber dos gostos diversos dos colegas, e assim poder se aproximar de quem queria seja para trocar uns beijos inocentes, um namoro ou uma amizade sincera.

    Na adolescência, mais precisamente me recordo que no ensino fundamental rolava na escola, nos corredores ou em sala da aula mesmo aqueles ´´cadernos de perguntas e respostas ´´, que tinham ali um questionário que começava com perguntas tranquilas tipo seu endereço etc.

    O que chamava atenção é que as mais picantes ficavam sempre para o final, suas respostas eram usadas para que se formassem  casais para aquelas trocas de beijo inocentes no muro do colégio, na quadra de esportes e para os mais sortudos a casa de um colega que os pais trabalhavam o dia todo.

    Época boa aquela em que você ficava torcendo para aquele caderno cair nas suas mãos se rolasse algo ótimo, se não você pelo menos teria como saber dos gostos diversos dos colegas, e assim poder se aproximar de quem queria seja para trocar uns beijos inocentes, um namoro ou uma amizade sincera.

    Hoje até a esses testes sejam eles nas revistas; E porque não em uma rede social que a mais utilizada no mundo contemporâneo?

    Felizmente descobrimos esse escândalo que envolve o Facebook e essas empresas que compravam os dados obtidos nos testes para manipular campanhas eleitorais já que alguns desses resultados mostravam nosso perfil ideológico, com isso criavam avatares para disseminar fake News e assim conseguir mudar o rumo de eleições mundo a fora.

    Tomara que os brasileiros percebam a existência desse tipo de ´´ amigo ´´ em sua rede social, pois estamos em ano de copa do mundo, mas também é um ano que vamos eleger pessoas para nos representar não deixe um fake News te influenciar.

    Por SOUZA.T.A. de,  Caiapônia 26 de março de 2018. 

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.